Economia

Secretário de estado compara reformas a uma “revolução”

O sector aéreo angolano está a passar por uma “reforma profunda”, segundo o secretário de Estado para os sectores da Aviação Civil, Marítimo e Portuário, António da Cruz Lima, que se referia  à transformação da TAAG numa Sociedade Anónima (SA), aberta à participação dos trabalhadores no capital, separação da gestão aeroportuária da navegação aérea, com a criação de uma sociedade anónima para gestão de aeroportos e uma empresa nacional para a navegação aérea.

Fotografia: DR

 Ao falar  num Fórum sobre Aviação Civil organizado pelo Ministério dos Transportes e a General Electric Aviation, Cruz Lima sublinhou que a organização dada à gestão do projecto do Novo Aeroporto Internacional de Luanda, aliada à reforma do Instituto Nacional da Aviação Civil (INAVIC) e do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes Aéreos (GPIAA) respeitam a regulamentação aeronáutica internacional.
O secretário de Estado incluiu nesse processo a reforma legislativa, as iniciativas de sensibilização anticorrupção da Procuradoria-Geral da República e o reforço da actividade dos mecanismos de fiscalização.

Tempo

Multimédia