Economia

Serviço “Express” supera caixas nos pagamentos

Isaque Lourenço

O serviço Multicaixa “Express” já é o mais requisitado para pagar bens e serviços, de acordo com o relatório de operações da Empresa Interbancária de Serviços (EMIS).

Usuários optam por pagar com recurso ao sistema Express, deixando os canais tradicionais
Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

No mês de Maio, o Multicaixa Expresso registou uma quota de 41,7 por cento, acima dos 36,3 por cento de Abril. Nesse mesmo período, as Caixas Automáticas (vulgarmente conhecidas como Multicaixas) representaram 34,5 por cento dos pagamentos registados, depois de no mês anterior ter liderado o ranking com 39,1 por cento.

De acordo com o relatório mensal, publicado na página de Internet da Emis, os clientes levantaram cash (dinheiro físico) no valor acima de 180 mil milhões de kwanzas, superando os mais de 150 mil milhões de Abril. Em termos de número de levantamento, Maio mostra um registo de 11,9 milhões acima dos 10,3 milhões do mês precedente.

Em compras, foram movimentados na plataforma electrónica dos bancos uma soma de 210 mil milhões de kwanzas, de 14,7 milhões operações. Comparativamente ao anterior, é relevante a subida. Naquele mês, foi concretizado em compras um registo de cerca de 160 mil milhões de kwanzas em 11,6 milhões de operações efectivadas.

Os dados da Emis conformam, por outro lado, a operacionalidade no período de 3.125 Caixas Automáticas (Multicaixas) e 115.212 Terminais de Pagamentos Automáticos (TPA). Destes indicadores, 3.010 Caixas são tidas como activas, no final de Maio, contra os 3.037 vistas em Abril. Do lado dos Terminais, estavam activos, no final do mês de Maio, 71.148 dispositivos. Em Abril, o registo foi de 65.416 aparelhos activos.

O aplicativo Multicaixa Express, instalado nos telemóveis e que se pode baixar na app ou playstore, consegue fazer operações fora do país, desde que para beneficiar quem esteja em Angola.

Cartões fora de prazo valem mas saem do activo

Neste período da Covid-19, os bancos aderiram ao programa de renovação automática de cartões com prazo vencidos para mais seis meses de validade.
Infelizmente, ao que usuários do serviço “Express” explicam, estes cartões apenas são válidos para as Caixas Automáticas, sendo desactivados automaticamente pelo sistema Express sem a possibilidade de nova reinserção dos mesmos.

Ao celebrar no mês de Abril, o primeiro ano de implantação, o Multicaixa “Express” anunciou possuir 200 mil utilizadores activos e 320 mil cartões associados, o que resulta de um crescimento médio da base de utilizadores e das operações de 20 por cento. Numa nota de imprensa emitida para assinalar o aniversário, a Empresa Interbancária de Serviços (EMIS), que detém o serviço Express, considera que a evolução prova a grande aceitação que a aplicação interbancária de pagamentos teve no mercado.

O Multicaixa “Express” é uma aplicação desenvolvida para o sistema bancário angolano que se baseia na associação de cartões a um número de telemóvel, permitindo consultas, levantamentos e operações de pagamento com um ou mais cartões de diferentes bancos.

Transferências “Express”

A EMIS afirma que, além da comodidade e da segurança nas operações, a aplicação permite a utilização do cartão de débito Multicaixa no pagamento do comércio electrónico, constituindo-se num método de pagamento de compras “online” que complementa o pagamento por referência, o mais utilizado. A companhia anunciou ter previstos melhoramentos adicionais ao longo do segundo semestre deste ano, como o lançamento das “Transferências Express”, um serviço de remessas rápidas entre pessoas, utilizando apenas o número do telemóvel como identificador da conta do beneficiário.

Está, igualmente, prevista a introdução do “Card Protector”, que permite aos utilizadores de cartões Multicaixa “Express” gerir, com a aplicação, o limite diário autorizado dos cartões, uma medida que se insere na prevenção da fraude. Implantada no mercado há 19 anos, a EMIS iniciou as actividades em Angola com a introdução dos cartões Multicaixa, os quais atingiram mais de seis milhões de cartões de pagamento e mais 600 milhões de operações em 2019.

A EMIS, um consórcio detido pelos bancos autorizados a operar no mercado angolano, declara na nota estar empenhada na oferta de “soluções modernas, fiáveis e seguras” para os utilizadores dos cartões da rede Multicaixa.

Tempo

Multimédia