Economia

Sete fazendas abandonadas no município de Chicomba

Arão Martins | Chicomba

Uma operação de actualização de dados desencadeada pela Administração Municipal de Chicomba, Huíla, revelou, sexta-feira, a existência de sete fazendas de elevada extensão abandonadas nas comunas de Cutenda, Libongue e arredores da sede.

Administração de Chicomba trabalha para redistribuir a terra de forma a elevar a produção agrícola
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Segundo o director municipal da Agricultura de Chicomba, Wilson Cabral, o trabalho que está a ser desenvolvido para reorganizar as cooperativas e associações de camponeses implantadas no município, por forma a dimensionar a produção.

“Estamos a trabalhar para serem criadas mais cooperativas e associações de camponeses e ter uma produção controlada. Até agora, não há referências da produção de milho no município de Chicomba. Pretendemo-nos organizar melhor, criando mais co- operativas e associações de camponeses e ter controlo da produção”, disse.
Esses objectivos implicam trabalhar na criação de uma base de dados estatísticos do município de Chicomba (220 quilómetros da cidade do Lubango), para saber em concreto o que existe em termos de cooperativas, associações de camponeses e fazendas.
Com o trabalho já feito, anunciou, foi registada a implantação de seis cooperativas que já existiam com 50 integrantes cada, além de 45 associações de camponeses a operar, mas também há sete fazendas abandonadas.
Wilson Cabral adiantou que vai ser criada uma equipa multissectorial a nível do município para medir a dimensão das fazendas, as quais, as reactivadas, “vão constituir uma mais-valia para o município. O objectivo é reactivá-las e entregar a empresários com capacidade de produção”, informou o responsável.
O director disse acreditar que os empreendimentos suscitem o interesse de investidores e que a Administração Municipal vai trabalhar para que os empresários interessados encontrem todas as condições para obterem a licitação dos empreendimentos.

Perspectivas de produção
A colheita prevista para a campanha agrícola 2018-2019, no município de Chicomba, é de 44 mil toneladas de milho, anunciou o director municipal da Agricultura, o que decorre desta ser a principal produção dos agricultores locais e de um submetido ao município pelo Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA).
A campanha agrícola foi prejudicada pela irregularidade das chuvas e diminuição do número de camponeses assistidos de 23 mil famílias previstas, para apenas 16 mil.
Chicomba tem sido o destino de vários compradores de milho, mas o estado da estrada constitui um grande constrangimento para o escoamento e a comercialização, disse o director municipal da Agricultura.
“Um dos principais constrangimentos para o comércio do milho no município de Chicomba é o das vias de acesso, que têm sido uma dor de cabeça, não só para os comerciantes, mas também para os trabalhos de campo”, afirmou, acrescentando que os operadores e outros envolvidos não conseguem deslocar com facilidade às comunas do Quê, Libongue e Cutenda.
A Administração Municipal de Chicomba, apontou, disponibiliza, com frequência, transporte para coordenar os trabalhos de campo. “Ajudamos sempre os agricultores a fazerem trabalhos técnicos para tirarem maior rendimento dos meios que lhes são entregues”, disse.
Chicomba é conhecida como celeiro de milho da província da Huíla, a par dos municípios de Caconda, Caluquembe e Quipungo.

Tempo

Multimédia