Economia

Sodiam encaixa quase 28 milhões em leilão

Os cinco lotes de diamantes raros lançados para leilão, pela Sodiam, a 20 de Novembro último, foram sexta-feira arrematados por um valor total de 27,85 milhões de dólares, anunciou hoje a companhia.

Leilão de diamantes raros substitui a política de clientes preferenciais
Fotografia: Paulo Mulaza| Edições Novembro

A Empresa Nacional de Comercialização de Diamantes de Angola (Sodiam) anunciou que o leilão, no qual participaram 29 empresas de cinco países, número próximo das 31 que participaram no primeiro leilão, em Janeiro, foi vencido pelas companhias internacionais Venus Jewell e Da Trading.
O leilão que encerrou na sexta-feira incluía a oferta de quatro lotes da Sociedade Mineira do Catoca constituídos por dois de composição run-of-mine com 127 quilates cada, um formado por sete pedras especiais com um peso total de 210,66 quilates e quarto por duas pedras de 110,12 quilates.
O lote com origem na mina do Cuango era formado por uma única pedra especial de 183,55 quilates.
A Sodiam declarou que o segundo leilão, que se enquadra nas novas modalidades de comercialização de diamantes brutos, seguiu o modelo Tender, ou seja, leilão por concurso, no qual as empresas participantes apresentam as licitações de forma remota, em modelo fechado na plataforma electrónica online que a Sodiam criou para o efeito, o que gera maior transparência no processo e permite obter um maior valor comercial para as pedras disponíveis.
O presidente do Conselho de Administração da Sodiam, Eugénio Bravo da Rosa, é citado no comunicado em que estes factos são anunciados a considerar que “foi concretizado com sucesso mais um leilão de diamantes brutos em Angola organizado pela Sodiam EP, em estreita articulação com o Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos e as empresas produtoras, leilão este que contribui de forma transparente, moderna e competitiva para a receita fiscal do sector para o Estado Angolano e maior reafirmação de Angola como um importante player na indústria diamantífera mundial”.
O ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo, felicita no comunicado as empresas vencedoras, sublinhando que é “importante continuar a trabalhar para que o sector diamantífero angolano ocupe cada vez mais um lugar de topo do mercado e da indústria internacional dos diamantes”.
Recorde-se que o primeiro leilão, realizado em Janeiro de 2019 com a participação de 31 empresas de oito países, resultou num encaixe de cerca de 16,7 milhões de dólares com a venda de um lote de sete pedras de diamantes brutos.

 

Tempo

Multimédia