Economia

TAAG pede denúncia de actos irregulares

O Conselho de Administração da TAAG apelou aos passageiros a denunciarem todas as irregularidades que presenciam no decorrer dos serviços prestados pela equipa de trabalho, depois de concluir, a favor da companhia, averiguações a um vídeo crítico ao serviço de catering, divulgado nas redes sociais.

TAAG?averiguou teor de críticas ao catering na sala de 1ª classe
Fotografia: CONTREIRA PIPA | Edições Novembro

Numa nota enviada ao Jornal de Angola, a companhia lembra que o vídeo, posto a circular a 12 de Junho nas redes sociais, reportava um vazio absoluto de produtos essenciais que compõem o pequeno almoço servido na sala de 1ª classe.
As averiguações concluíram que a filmagem ocorreu numa altura em que os colaboradores da TAAG colocados naquele sector preparavam-se para pôr à disposição dos passageiros a segunda das três ilhas que constituíam o buffet matinal, já que, no horário anterior (às 5h00 da manhã), a sala de espera tinha acolhido outro grupo de passageiros.
Apesar das conclusões do processo serem favoráveis à companhia, o Conselho de Administração da TAAG encoraja os clientes a utilizarem o Livro de Reclamações sempre que forem detectadas anomalias nos serviços prestados aos consumidores.
O Livro de Reclamações é uma imposição do Ministério do Comércio destinada às instituições que comercializam bens e prestam serviços públicos, sendo disponibilizado aos consumidores.
Em Fevereiro último, a companhia aérea iniciou a aplicação de uma decisão que conduz à poupança de cerca de quatro milhões de dólares por ano com o corte das refeições durante as viagens interprovinciais.
O presidente da Comissão Executiva da transportadora, Rui Carreira, declarou mais tarde à Angop, em Março, que apesar de não haver cálculos naquela altura, a medida tinha ajudado a reduzir de forma signiticativa as despesas da empresa.

Tempo

Multimédia