Economia

Taxa de empreendedorismo em crescimento desde 2014

A Taxa de Actividade Empre-endedora (TEA) angolana registou, em 2018, um crescimento de 5,6 por cento face a 2016 e 19,3 por cento em re-lação a 2014, a maior taxa entre os países estudados, revela o estudo sobre empreende-dorismo “GEM Angola 2018/-2019”, apresentado quinta-feira, em Luanda.

Fotografia: DR

O GEM, maior estudo sobre empreendedorismo a nível mundial, aponta que, em 2018, 40 em cada 100 angolanos adultos eram empreendedores, sendo que 77,9 por cento actuavam em actividades viradas para o consumidor (retalhistas, educação, saúde, restauração e lazer).
A pesquisa dá conta que o sector da transformação (construção, indústria transformadora e transporte) re-presenta 15,5 por cento dos empreendedores, a orientada para o cliente organizacional (finanças, seguros, imobiliário e outras actividades negociais) com cinco por cento, enquanto o sector extractivo (agricultura, silvicultura, pescas e extracção de matérias brutas) constitui apenas 0,5 por cento.
Da iniciativa da Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI), Centro de Investigação Científica da Universidade Católica de Angola (CEIC) e do Banco de Fomento Angola (BFA), o estudo da Global Entrepreneurship Monitor (GEM) em Angola baseou-se numa sondagem sobre uma amostra de 2.023 indivíduos com idades compreendidas entre 18 e 64 anos.
As idades do universo de empreendedores em Angola situam-se entre os 25 e 35 anos, enquanto o nível académico aos ensinos médio e superior.
Com a participação de 36 especialistas nacionais, o “GEM Angola 2018/2019” aponta a definição de melhores políticas, programas de apoio ao empreendedorismo, melhoramento do quadro legislativo e regulamentar, das infra-estruturas e serviços, bem como maior apoio financeiro, como os aspectos essenciais para melhorar a actividade no país.

Tempo

Multimédia