Economia

Taxa de juro indicativa cai para 15,5 por cento

O Comité de Política Monetária do Banco Nacional de Angola (BNA) determinou, na sexta-feira, a redução em 0,25 pontos percentuais a taxa de juro indicativa, fixando-a nos 15,5 por cento, indica um comunicado oficial.

Medida assenta no facto de a inflação no país continuar com a uma trajectória decrescente
Fotografia: DR


Segundo o documento do BNA, o comité decidiu também manter “inalterada” a taxa de juro da Facilidade Permanente de Absorção de Liquidez em 0,0 por cento, e os coeficientes das Reservas Obrigatórias em moeda nacional em 17 por cento e em moeda estrangeira em 15.
“Estas decisões foram sustentadas pelo facto de a inflação homóloga continuar com a sua trajectória decrescente, bem como pela evolução da base monetária em moeda nacional, variável operacional da política monetária, que contraiu 0,54 por cento nos últimos 12 meses”, lê-se no comunicado.
O BNA lembrou que, em Abril, o Índice de Preços no Consumidor Nacional apresentou uma variação mensal de 1,05 por cento, inferior à registada no mês anterior (1,09 por cento), e uma variação homóloga de 17,36 por cento, de igual modo inferior à registada no período anterior (17,56 por cento).
Por sua vez, a variação mensal do Índice de Preços Grossista (IPG) fixou-se em 1,39 por cento, maior em relação ao mês anterior (1,35 por cento). A variação homóloga foi de 17,17 por cento, superior à verificada no período anterior (17,13 por cento). “Note-se que, desde meados de 2018, a variação do IPG dos produtos nacionais tem sido superior à dos produtos importados", observa o BNA.
Em Abril, prossegue o BNA, o mercado monetário interbancário transaccionou um fluxo total de 393.930 milhões de kwanzas, o que representa um aumento de 115.610 milhões face ao período anterior.
A taxa de juro LUIBOR, na maturidade ‘overnight’, situou-se em 15,73 por cento, o que representou uma redução face ao nível de Março de 2019 (15,76 por cento).
Segundo o BNA, o agregado monetário “M2” em moeda nacional, que congrega a totalidade dos depósitos bancários em moeda nacional e as notas e moedas em poder do público, registou uma variação positiva de 11.370 milhões de kwanzas em relação ao nível observado em Março de 2019.
Nesse sentido, passou, em Março, de 4.310 mil milhões para, em Abril, 4.320 mil milhões de kwanzas, valor que, nos últimos 12 meses, teve uma variação negativa de 1,07 por cento.
Ainda em Abril, o ‘stock’ do crédito em moeda nacional registou uma expansão mensal de 2,06 por cento, face à relativa estabilidade registada em Março, tendo decrescido, nos últimos 12 meses, em torno dos 1,41 por cento.
Nos meses de Março e Abril de 2019, o BNA vendeu ao mercado um montante total de 1.566 milhões de dólares através dos bancos comerciais, mais do que os 1.430 milhões de dólares nos primeiros dois meses de 2019.
Face ao período homologo, no qual foram vendidos 1.640 milhões de dólares, houve uma diminuição de 5,03 por cento.
Em Março, a conta de bens registou um saldo superavitário de 2.070 milhões de dólares, com o valor total das exportações a atingir 2.980 milhões de dólares (2.670 milhões de euros) e o das importações os 909,01 milhões de dólares (814,7 milhões de euros).
Igualmente em Abril, a conta registou um superavit de 1.930 milhões de dólares, com as exportações a situarem-se nos 2.860 milhões de dólares e as importações em 923,64 milhões.
Nos dois meses analisados, a conta de bens apresentou o mesmo comportamento, registando um aumento de 108,83 por cento face aos dois meses anteriores (Janeiro e Fevereiro), lê-se na nota.
Em relação às Reservas Internacionais Brutas, o comité refere que, em Abril, se situaram em 16.330 milhões de dólares, o que representa um grau de cobertura de importações de bens e serviços de 8,97 meses.
No comunicado, o BNA não fala sobre as reservas internacionais líquidas, mas, na quarta-feira, o administrador do BNA Miguel Miguel estimou-as em 10.000 milhões de dólares, e as brutas em 16.000 milhões de dólares, com “visível declínio” desde 2014.
A próxima reunião ordinária do Comité de Política Monetária do Banco Nacional de Angola realiza-se a 26 de Julho do próximo.
A última vez que o Banco Nacional de Angola mexeu na taxa indicativa foi a 27 de Janeiro do ano em curso, quando a baixou de 16,5 por cento para 15,75 por cento.

 

Tempo

Multimédia