Economia

Total atribui 54 bolsas

César André

A petrolífera Total procedeu ontem, em Luanda, à atribuição formal de 54 bolsas de estudo do ensino superior em França a jovens angolanos provenientes dos institutos Nacional de Petróleos do Sumbe, no Cuanza-Sul, Médio Industrial de Luanda e dos liceus Eiffel de Malanje, Ondjiva, no Cunene, Ndalatando, no Cuanza-Norte, e Caxito, Bengo.

Embaixador francês outorga certificados a bolseiros
Fotografia: Angop

A atribuição das bolsas, no âmbito da responsabilidade social da empresa, foi testemunhada pela Primeira-Dama da República, Ana Dias Lourenço, madrinha dos bolseiros.

As bolsas foram concedidas mediante um processo de selecção baseado em testes de aptidão. Durante um período de cinco anos, os bolseiros vão estudar, nas mais diversas áreas de engenharia, em institutos superiores técnicos e universitários de 30 cidades francesas. Vão fazer cursos de engenharia biológica, eléctrica, informática, energia térmica, mecânica e indústria agro-alimentar, entre outros.
Durante a vigência da bolsa, os estudantes beneficiam de um subsídio mensal, seguro de saúde e de um programa de estágio determinado pela instituição de ensino e financiado pela petrolífera. O programa resulta de um acordo rubricado em 2018 entre a Total e o Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos.
Oliver Jouny, director-geral da Total E & P Angola, disse que com a atribuição das bolsas de estudo a jovens, a empresa reforça o compromisso de parceria com a sociedade angolana, contribuindo para a promoção do desenvolvimento sócio-económico do país através de programas de responsabilidade social.
Oliver Jouny disse ainda que o compromisso da Total com a educação e formação remonta aos anos 1980, tendo financiado até agora 360 bolsas no exterior do país. Anunciou ainda que a petrolífera francesa tem acordos celebrados com a Universidade Agostinho Neto, com o Instituto Superior Politécnico de Tecnologia e Ciências e com o Instituto Nacional dos Petróleos do Sumbe, que se traduzem em apoio técnico, formação de professores e de estudantes, muitos dos quais são hoje quadros que trabalham na empresa.
“Ficamos orgulhosos ao constatar que os estudantes das escolas Eiffiel estão entre os melhores do país, que tem sido demonstrado nas várias competições académicas que se realizam e este ano teremos um estudante de Caxito a representar Angola nas Olimpíadas Mundiais de Matemática, a decorrer no Reino Unido”, disse Oliver Jouny.

Tempo

Multimédia