Economia

Transições políticas podem gerar riscos

A incerteza política e a instabilidade durante as transições estão entre os principais riscos para as empresas na África Austral em 2018, afirma a consultora Control Risks(www.ControlRisks.com), especialista em risco global, na sua previsão política anual e de riscos de segurança RiskMap.

 “Em 2018 vamos continuar a assistir a incertezas em toda a liderança política nos mercados da África Austral. As transições no Zimbabwe e em Angola em 2017, as eleições em Moçambique em 2018 e o sectarismo no interior do Congresso Nacional Africano (ANC) actualmente no poder na África do Sul recordam, uma vez mais, às empresas da região  a importância de ter um entendimento claro do impacto dessas incertezas no seu ambiente de risco.”
A Control Risks identificou como riscos-chave que as empresas da África Austral vão enfrentar em 2018, a instabilidade política na África do Sul que vai assistir à continuação das divisões no seio do ANC após a eleição do novo presidente do partido.
O relatório aponta a saída do Presidente do Zimbabwe, Robert Mugabe, do poder e a eleição de um novo Presidente em Angola, João Lourenço em substituição de José Eduardo dos Santos, bem como o Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, que está a consolidar a sua autoridade. “Antecipar e preparar a forma como estas transições vão afectar os negócios é essencial para o êxito em 2018 e  além”, alerta.
O texto lembra que 2017 assistiu a uma série de escândalos de corrupção de elevado perfil na África do Sul que se tornaram evidentes com uma fuga massiva de e-mails que demonstravam uma comunicação indevida entre os responsáveis governamentais de topo, indivíduos com ligações políticas e interesses empresariais privados.

Tempo

Multimédia