Economia

Transportes contrata financiamento japonês

O Projecto de Desenvolvimento Integrado da Baía do Namibe vai arrancar ainda este ano, depois do acordo de financiamento assinado pelo ministro dos Transportes, Ricardo de Abreu, e o Banco de Cooperação Internacional do Japão (JBIC, sigla inglesa), na terça-feira, em Tóquio.

Ministros de Angola e do Japão após a assinatura do acordo
Fotografia: Edições Novembro

O Jornal de Angola apurou que o ministros dos Transportes chega amanhã a Luanda, depois de ter integrado uma missão oficial angolana enviada ao Japão, integrando ainda os ministros das Finanças, bem como dos Recursos Minerais e Petróleos, Archer Mangueira e Diamantino Azevedo.
Uma nota de imprensa da Embaixada de Angola no Japão a dar conta da assinatura do acordo indica que o documento inclui um pré-contrato com a Nippon Export Investment Insurance (NEXI) e um contrato comercial com a Toyota Tsusho e a TOA Corporation.
Enquanto permaneceu em Tóquio, a delegação angolana foi recebida pelo vice-Primeiro-Ministro e ministro das Finanças, Taro Aso, o ministro de Estado da Economia, Comércio e Indústria, Yoshihiro Seki, e pelo vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Norikazu Suzuki.
A delegação visitou igualmente a Bolsa de Valores de Tóquio (TSE/TYO) e o Centro de Controlo de Tráfego Rodoviário de Tóquio.
A Embaixada de Angola no Japão, o Banco de Cooperação Internacional do Japão (JBIC) e o Instituto para o Investimento Estrangeiro do Japão (JOI) organizaram um seminário sobre investimentos em Angola que contou com a participação de mais de cem empresários japoneses dos sectores da banca, transportes, recursos minerais e comércio geral.
Um despacho presidencial publicado na segunda-feira no Diário da República autorizou o ministro dos Transportes a celebrar o contrato de empreitada para o Projeto Integrado da Baía do Namibe com o consórcio Toyota Tsusho Corporation e a TOA Corporation. O documento também autoriza a inclusão do projecto, que absorve 600 milhões de dólares norte-americanos (186 mil milhões de kwanzas), na linha de crédito aberta para Angola pelo JBIC.
A autorização concedida decorre da necessidade de garantir a continuidade e concretização do programa do Governo no que diz respeito à diversificação das fontes de financiamento para execução de projetos inseridos no Programa de Investimento Público e outros de interesse nacional enquadrados no Plano de Desenvolvimento Nacional 2018 - 2022, lê-se no despacho.
Fundado em 1887, o grupo japonês Toyota Tsusho emprega mais de 12 mil trabalhadores e actua em várias áreas de negócio em 39 países, sendo 34 em África.


Tempo

Multimédia