Mais NotíciasMais Notícias sobre Entrevista

“A Matemática não é um bicho de sete cabeças”

Maria de Natividade é uma professora universitária dispensada pela Faculdade de Ciências da Universidade Agostinho Neto. O facto de ser docente de uma disciplina que representa o “Calcanhar d’Aquiles” para a maioria dos estudantes angolanos acresce à sua exoneração um factor de incompreensão sobre os rumos que o Ensino Superior em Angola está a tomar. Quando chegou à direcção do Departamento de Matemática, a professora adoptou algumas reformas, que exigiam maior empenho dos estudantes. Em face do seu fraco empenho e das consequentes reprovações, os estudantes adoptaram uma posição de força, tendo a direcção da Faculdade de Ciências constituído uma comissão de inquérito que conduziu à sua exoneração e à suspensão da actividade docente na faculdade.

A luta contra a corrupção deve ser também um combate pela criação de valores morais

Mia Couto esteve em Luanda no passado sábado, 6 de Abril, numa sessão intensiva de trabalho, com os escritores José Eduardo Agualusa e Cynthia Perez, para criaram três livros infantis apresentados na Rádio LAC, uma iniciativa do Goethe-Institut Angola. O Jornal de Angola entrevistou o escritor moçambicano que acaba de publicar “O Bebedor de Horizontes”, um livro que desenterra do passado colonial a figura do Imperador Ngungunyane. Com este livro, o autor propõe que se olhe para o passado de modo menos politizado. A excessiva politização da história que os africanos vão fazendo mostra-nos, segundo o autor, que não houve tempo (e se calhar não houve vontade) para pensar que tipo de Estado nos convinha erguer. Actualmente existe uma mudança positiva, embora, diz o escritor, tenha chegado tarde. Mas resta pouco espaço para regimes autoritários, mesmo dos que exercem repressão em nome da sua pretensa legitimidade histórica. Assim pensa o autor moçambicano, que tem em Luandino Vieira, o primeiro escritor que o desafiou na busca de uma escrita que integrasse a oralidade.

José Agualusa : "Os inimigos de João Lourenço estão dentro do seu partido"

Autor de uma já vasta obra, com créditos firmados em Angola e no exterior, está no país para participar, com o moçambicano Mia Couto, a convite do Goeth-Institute Angola e do colectivo cultural Pés Descalços, numa oficina de escrita criativa. Vai aproveitar para fazer a apresentação do seu último romance, “A Sociedade dos Sonhadores Involuntários”, lançado há dois anos em Portugal. José Eduardo Agualusa, que vive actualmente em Moçambique, fala, na entrevista que se segue, sobre a divulgação da sua obra no exterior, a diáspora literária angolana e a necessidade de formar leitores. E como não podia deixar de ser, opina sobre a nova Angola que encontrou.

Adolfo Maria: " Herança recebida por João Lourenço é muito pesada"

Adolfo Maria lançou, quarta-feira, em Lisboa, o livro “Angola - A Hora da Mudança”, ensaio que inclui, de maneira profunda e sem tabus, textos de carácter sociopolítico, histórico e cultural sobre África e Angola. Em entrevista exclusiva ao Jornal de Angola, o autor refere a principal motivação que o levou a escrever o livro, que foi apresentado pelo economista guineense Eduardo Fernandes, parceiro de Adolfo Maria no programa “De-bate Africano”, da RDP e RTP África, em Portugal.

ver arquivo

Tempo

Multimédia