Mais Notícias

Ver arquivo
  • Famílias camponesas aumentam no Bengo

    O director provincial da Agricultura do Bengo, Faustino Quissaque Ngonga, considerou satisfatórios, em entrevista ao Jornal de Angola, os níveis de produção alcançados pelos trabalhadores do campo, pelo que aguarda uma boa colheita na presente campanha agrícola.

    Ler mais »

  • Cooperar sempre com as melhores escolas de Direito

    A Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto lança no mercado, pela primeira vez, o primeiro candidato ao Doutoramento em Direito, José Maria Rodrigues. O decano da Faculdade de Direito da UAN, Professor Doutor André Victor, deu a notícia em exclusivo ao Jornal de Angola, numa entrevista em que falou do início de mais um ano lectivo e do funcionamento da primeira escola pública de Direito.

    Ler mais »

  • Processo dos 50 foi o despertar da consciência dos angolanos

    O Processo dos 50 teve grande importância na luta de libertação nacional em Angola, pois “o envolvimento de pessoas pertencentes a vários estratos sociais também pesou muito a favor da consciencialização dos angolanos para a necessidade de lutarem pela independência”, afirmou em entrevista ao Jornal de Angola a historiadora Anabela Cunha.

    Ler mais »

  • Cooperativismo é modelo rentável em Angola

    O sector agrícola foi o que mais avançou em matéria de cooperativismo em Angola e produz hoje grandes quantidades de alimentos para o país, disse Albano da Silva Lussati, presidente de direcção da Confederação das Associações de Camponeses e Cooperativas Agropecuárias de Angola (UNACA-Confederação),em entrevista ao Jornal de Angola.
    Agricultura familiar é responsável pela produção de grande quantidade de alimentos no país

    Ler mais »

  • Investigar antes de prender

    O Serviço de Investigação Criminal (SIC) rege-se hoje por métodos de investigação modernos para recolha dos meios de prova, disse ao Jornal de Angola o procurador-geral-adjunto da República junto daquele órgão, Luciano Cachaca. “Prender para investigar pertence ao passado”, afirmou. “A situação mudou de forma radical, pois, temos à nossa frente a lei das medidas cautelares em processo penal. Ninguém deve ser detido para ser investigado. Se assim acontecer, a detenção é considerada ilegal e o Ministério Público não a cauciona”.

    Ler mais »

Arquivo

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA