Mais NotíciasMais Notícias sobre Entrevista

Portugal ambiciona relações profícuas e estreitas com Angola

Nunca a visita de um Primeiro-Ministro português a Angola foi tão mediatizada e obrigou a uma série de esclarecimentos diplomáticos de parte a parte. Há sete anos que um chefe de Governo luso não visitava Angola e há cerca de oito que um Chefe de Estado angolano não vai a Portugal. Hoje, António Costa chega a Luanda, para uma visita que considera simbólica. Em entrevista ao Jornal de Angola,
o governante português avalia o estado da cooperação e aborda outros temas na relação entre os dois países. Neste particular aspecto, António Costa é peremptório: "nunca teremos uma relação com outros países como a que temos com Angola"

"É necessário dar oportunidade aos jovens"

Luísa Damião admitiu, em entrevista a Angop, que ficou surpreendida com a sua eleição ao cargo de vice-presidente do MPLA. Entretanto, a jornalista, eleita “número dois” na hierarquia do partido no poder em Angola no último congresso extraordinário, prometeu assumir o cargo com muita responsabilidade. Como prioridade para os próximos tempos, apontou a mobilização dos militantes, sobretudo das mulheres para participarem nas eleições autárquicas, previstas para 2020.

"João Lourenço é um grande reformista"

Os desafios de João Lourenço enquanto Presidente da República e líder do MPLA não são nada fáceis. A previsão é do historiador e docente universitário Fernando Manuel, em entrevista à Angop. O académico não descarta a hipótese de João Lourenço fazer alterações na direcção do partido. A nível do Executivo, o entrevistado disse que o Presidente terá de colocar os quadros certos nos lugares certos e apostar na meritocracia dos mesmos, ainda que estes não sejam militantes do MPLA. Siga a conversa:

Liderança de João Lourenço abre um novo ciclo no MPLA

A passagem da liderança do MPLA ao Presidente João Lourenço, a acontecer no próximo sábado, durante o VI Congresso Extraordinário do partido, assume-se como o iniciar de um novo ciclo na “representação institucional” daquele partido, disse ontem, em entrevista à Angop, o académico José Octávio Serra Van-Dúnem. Na opinião do sociólogo e docente universitário, a renovação no maior partido de Angola é vista como uma das faces de um novo ciclo que se vive no país. Quanto à avaliação do primeiro ano de desempenho do Presidente da República, o entrevistado da Angop destacou que “o balanço é muito positivo e os desafios cada vez maiores, mas não exclusivos da governação.”

ver arquivo

Tempo

Multimédia