Entrevista

“A medicina natural difere do tratamento tradicional”

Alexa Sonhi

Ao contrário do que se pensa, a medicina natural não está relacionada ao obscurantismo (kimbanda), nem se comporta como a medicina tradicional que é tipicamente empírica

Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

O que é a medicina natural?
A medicina natural é uma terapia que enfatiza a capacidade intrínseca do corpo para a cura e manter-se saudável, usando os recursos naturais como folhas e raízes medicinais (fitoterapia) como remédio para combater as causas da doença e recorrer acima de tudo ao aconselhamento dietético natural e à orientação sobre estilos de vida.

Como define o actual estado da medicina natural em Angola?

A medicina natural em Angola está numa fase embrionária, e há determinadas situações que ocorrem que precisam ser bem desmistificadas. Para isso, as autoridades precisam abraçar esta recente área da medicina natural em Angola, porque em termos daquilo que é a fauna temos muitas plantas medicinais que têm sido transportadas de Angola para outros países a fim de fabricarem medicamentos naturais. Logo, com o défice de medicamentos que o país vive, causada pela actual situação financeira a medicina natural é de extrema importância por contribuir na diminuição daquilo que são as carências em termos de importação de medicamentos.

E temos muitas plantas medicinais?   
Sim, temos muitas plantas medicinais. A nossa flora é riquíssima. Mas é preciso que o Executivo aprove leis que permitam a verificação do potencial de tudo aquilo que a natureza nos oferece. Isso vai ser bom, porque a partir daí podemos dar respostas ao tratamento de patologias como a malária, diabetes, hipertensão. Nestas últimas patologias, os pacientes, por exemplo, têm de fazer a medicação por toda vida, mas, com a medicina natural já podemos ajudar estes pacientes a diminuir o consumo de químicos.

Quais as especialidades da medicina natural usadas no tratamento dos pacientes e qual delas o doutor mais prefere?

As especialidades são a fitoterapia, a homeopatia, a hidroterapia, a geoterapia, helioterapia, o yoga, as técnicas de manipulação, auriculoterapia nutrição e tantas outras. Prefiro usar um pacote único que é a medicina integrativa , que abrange a fitoterapia, nutrição , fisioterapia, a geoterapia, e helioterapia, hidroterapia.

Pode descodificar algumas dessas especialidades?

Sim. A fitoterapia, por exemplo, estuda a plantas medicinais, como elas podem ser usadas, o doseamento, este conjunto de técnicas usamos para termos a farmacologia botânica. Já a helioterapia é um tratamento feito à base do sol, orientamos também os pacientes para fazerem um banho de sol, frequentar as praias porque aquele calor quando entra em contacto com a pele, cria um factor intrínseco que faz com que haja a produção de vitamina D3, e esta vitamina ajuda no funcionamento de todos os hormónios. Já a hidroterapia consiste no tratamento de patologias usando a água. Usamos a água no estado sólido, líquido e gasoso. Podemos utilizar o gelo inclusive para estancar  hemorragias numa mulher. É uma coisa tão natural que bem usada resolve problemas de saúde.
A nutrição serve de guia para a recuperação dos pacientes. Submetemos os pacientes a uma dieta e o que comer para evitarem doenças como hipertensão, diabetes , infertilidade e tantas outras patologias que podem ser causadas pelos maus hábitos alimentares.
 
Quando falamos de medicina natural, estamos também a falar da medicina tradicional?
A medicina tradicional tem a haver com aquilo que parte das nossas tradições. Os ensinamentos dos nossos pais e avós, dentro daquilo que é o empirismo, há pessoas na família que do ponto vista cultural já utilizam a medicina tradicional há anos, e esta medicina também é aceite. por exemplo, se formos ao litoral encontramos zonas onde não há médicos, e as pessoas ficam doentes, apanham diarreias, paludismo e outras patologias, mas fervem folhas de Santa Maria, folhas, mastigam alho e melhoram. Esta medicina é tradicional e não natural , porque esta última obedece a estudos científicos para saber a combinação certa da dosagem.

A medicina natural cura todas as doenças?
Não. Não cura todas as doenças, e quem disser que sim está a mentir o paciente, porque existem doenças como a insuficiência renal crónica, que só a medicina natural não resolve porque quando o rim deixa de funcionar temos que recorrer a medicina convencional através dos tratamentos de hemodiálises e transplante para serem salvos. 
E nós na Clínica Nguempe usamos os dois tipos de medicina.

Há quanto tempo existe a Clínica Videira Nguempe?
A Clínica Videira Nguempe existe há quatro anos, mas há 14 anos trabalhamos em medicina natural neste mesmo local, denominado Centro de Medicina Natural.
 
Acha que há uma medicina natural tipicamente angolana, a semelhança da acupunctura, que é a medicina tradicional chinesa?
Aqui em Angola ainda não existe essa separação a medicina tipicamente angolana em relação aquela que é o caso da acupunctura.
Existem vários profissíonais nossos que usam as técnicas que melhor lhes convém por não existir esta separação.

Qual é a percentagem de cura dos casos que dão entrada na vossa clínica?

Do ponto de vista estatístico 70 por cento das pessoas que acorrem à clínica fazem do tratamento natural um projecto de vida e saem devidamente curados. Mas há pacientes que quando aparecem aqui fazem consultas e recebem o primeiro tratamento e depois nunca mais aparecem. Estes de certeza não melhoram, porque o paciente precisa de ser monitorizado, respeitar a nutrição, saber se está a ferver bem as ervas e raízes, ou se está a ingerir conforme a nossa prescrição.

  “A diferença é que usamos a própria natureza para combater as causas da doença”

Pelo número de pessoas que acorrem à clínica, sente haver uma descrença pela medicina convencional em Angola?
 A medicina convencional é de extrema importância, e não podemos sequer desprezá-la porque existem determinadas situações que só mesmo a medicina convencional pode responder.

 A clínica já curou pacientes que tenham recebido da medicina convencional pouco tempo de vida?
Sim. Recebemos pacientes com câncer da mama, com obesidade e, recentemente,  uma jovem que teve  um  diagnóstico de morte em três meses, foi tratada com sucesso, a base de tratamentos naturais e com uma dieta saudável.
 
A medicina natural atende pacientes que padecem de cancro do colo uterino?

Não. Ainda não recebemos pacientes com estes problemas. Se algum pacientes nos procurar vamos trabalhar de forma afincada para ajudar a eliminar estes tumores malignos do seu organismo.

Em relação ao HIV/Sida?

O HIV/Sida é uma doença que ataca a imunidade do corpo, logo o uso da medicina natural no combate desta doença é fantástico porque o naturalista trabalha exactamente para melhorar a imunidade do indivíduo.

Existem também médicos charlatães na medicina natural?

Sim. Existem, porque nós encontramos no país pessoas que dizem estar formados nesta área , mas com o passar do tempo notamos que apenas leram um livro de medicina natural e acharam que também devem abrir o seu consultório e medicam empiricamente os pacientes.

Existe um órgão que actualmente regule a vossa actividade ou cada um trabalha do jeito que quer?
Existe um órgão, o Conselho Nacional de Medicina Natural e Tradicional em Angola (CONMENTA) que trabalha directamente com o Ministério da Saúde que atribui cédulas aos técnicos para exercerem a actividade. E por meio destas cédulas que se consegue saber quem está autorizado ou não a exercer a medicina natural.

Quantos pessoas estão inscritas no CONMENTA?
No CONMENTA estão inscritos mais de três mil pessoas.

Tempo

Multimédia