Entrevista

"Angola vai continuar a crescer se apostar no empreendedorismo"

Walter António

Um galardão denominado Prémio Inovação foi criado pela Fundação Inovação para África (AIF) para distinguir descobertas inovadoras que possam contribuir para o desenvolvimento do continente africano.

Gestora do prémio em Angola
Fotografia: Foto cedida pela organização

Um galardão denominado Prémio Inovação foi criado pela Fundação Inovação para África (AIF) para distinguir descobertas inovadoras que possam contribuir para o desenvolvimento do continente africano. O prémio visa ainda mobilizar os líderes do continente e motivá-los a promoverem inovações. Estão inscritas 550 candidaturas de 38 países, incluindo Angola. Ana Almada, gestora do prémio em Angola, em entrevista ao Jornal de Angola disse que “é preciso encorajar os africanos a desenvolverem formas criativas de superar os desafios do quotidiano”.


Jornal de Angola -  Quais são os objectivos do Prémio Inovação para África?

Ana Almada (AL)
- O Prémio Inovação para África reconhece as descobertas inovadoras que desvendam o potencial africano. O prémio visa mobilizar os líderes para promover a inovação no continente, nos sectores chave da competição: promover o avanço da ciência, da tecnologia e da engenharia, como opções nobres de carreiras para os jovens e ainda estimular um ambiente que promova a troca e partilha de oportunidades de negócio inovadoras em África.

JA - Qual a importância do prémio para Angola?

AA
- A melhor forma de continuar a alimentar o crescimento e desenvolvimento de Angola é apostar na inovação e no empreendedorismo. Em Angola e em todo o continente, a Fundação Inovação para África tem como missão encorajar os africanos a desenvolverem formas criativas de superar os desafios do quotidiano.

JA - O prémio é simbólico ou tem um valor em dinheiro?

 AA
- Este prémio garante 150.000 dólares aos vencedores que apresentarem soluções orientadas para o mercado e que contribuam para o desenvolvimento de África. A edição 2013 do Prémio Inovação foca-se em cinco categorias: agricultura e agro-negócio, energia, ambiente e água, saúde e bem-estar, informação, comunicação e tecnologias, produção e serviços industriais.

JA - Quantos projectos já estão inscritos para a edição 2013?

AA
- Até ao momento, já foram apresentados 550 de 38 países africanos. Mas recebemos apenas sete candidaturas de Angola. Apesar do período de admissão deste ano estar encerrado, encorajamos os inovadores e empreendedores angolanos a prepararem as suas candidaturas para 2014, o período de aplicações da próxima edição do concurso vai abre em Julho.

JA - Além do valor pecuniário há outros incentivos? />
AA
- A equipa do Prémio Inovação para África ajuda aos vencedores a criarem o seu plano de desenvolvimento do negócio, a definirem a sua estratégia de marketing e a contactarem com outros inovadores.

JA - Onde e quando é realizada a cerimónia de entrega do Prémio de Inovação para África?

AA
- O local e a data da cerimónia de entrega do prémio em 2013 vai ser anunciada no início do ano.

JA -  Quantas edições já foram realizadas?

AA
- Esta é a segunda edição do Prémio Inovação para África. Verificamos que as comunidades científicas, académicas e empresariais estão a colaborar conjuntamente para construir um ecossistema inovador que possa acelerar o crescimento económico em África.

JA - Na primeira edição houve muitas candidaturas?

AA
- Em 2012, o prémio recebeu 485 projectos concorrentes, provenientes de 38 países africanos. A edição 2013 ultrapassou já esse número, mas continuamos a convencer os potenciais candidatos a avançarem.

JA - Quais são os critérios de admissão ao concurso?

AA
- Os interessados podem aceder ao  www.InnovationPrizeforAfrica.org e preencher o formulário de aplicação, que contém a descrição detalhada da inovação. É importante destacar que não é necessário pagar qualquer taxa de inscrição.

JA - Que meios são utilizados para a contínua promoção do prémio nas universidades e no meio empresarial?

AA
- Utilizamos vários canais para promover este prémio, que vão desde os Media, newsletters electrónicas, à organização de apresentações um pouco por todo o continente, de maneira a fazermos chegar toda a informação sobre o prémio e o seu real contributo para o desenvolvimento da inovação em África.

JA - É possível partilhál-lo nas redes sociais?

AA
- A forma mais eficaz que temos de partilhar estas informações é através das redes de inovação informais. Esperamos que mais angolanos partilhem esta informação sobre a realização do prémio na próxima edição do concurso em Julho.

JA - Os candidatos ao prémio têm de viver em África?

AA
- O Prémio Inovação para África está aberto a todos os cidadãos africanos, mesmos àqueles que se encontram localizados noutros continentes.

Tempo

Multimédia