Arquivo

Filtrar por Data

Angola está na indústria espacial para não mais sair

O ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho Rocha, garante que embora o Angosat-1 esteja numa situação de indefinição, nos termos contratuais Angola obtém ganhos de um mini-satélite. Afirmou que enquanto se constrói  uma nova infra-estrutura,  o Angosat-2, a Rússia é obrigada a dar a Angola as devidas compensações para suportar os seus serviços. “Na prática, vão dar-nos 216 Megahertzs na Banda C e 216 Megahertzs na Banda Ku para podermos suportar todos os nossos serviços. Esta é a compensação maior”, disse o ministro. José Carvalho da Rocha acrescentou que todos os valores decorrentes disso serão transferidos para o Gabinete de Gestão do Programa Espacial Nacional.
O segundo satélite começa a ser construído amanhã, sem quaisquer custos para Angola. Uma equipa russa do consórcio construtor   esclarece hoje, na capital angolana, o que aconteceu com o Angosat-1.

 

“Universidades angolanas menosprezam os estudos de guerra e de segurança”

O seu campo de estudos é a guerra em Angola e na África Austral. O seu trabalho de pesquisa é reconhecido e estudado em Universidades estrangeiras. Mas em Angola não. Ele próprio  diz porquê: “O nosso meio universitário não valoriza os estudos de defesa nem os de segurança. Não digo que haja apatia, mas o certo é que as pessoas têm de despertar para isso”. E acrescenta: “Os Estados nacionais que se prezam e as suas instituições não podem menosprezar os estudos estratégicos, de guerra, de defesa e de segurança.”  Aqui, retoma uma afirmação constante de um dos seus livros, de que no auge da Batalha do Cuito Cuanavale a África do Sul esteve à beira de lançar um ataque nuclear contra a cidade de Luanda.

“A Junta não teria razão de existir se os nossos hospitais funcionassem”

Hoje, Dia Mundial da Saúde, o Jornal de Angola traz uma entrevista concedida pelo director-geral da Junta Nacional de Saúde, Augusto Lourenço, que fez uma interessante “radiografia” da instituição, que, no seu entender, não está capacitada para dar resposta a todas as necessidades da população em termos de saúde. O médico falou das dificuldades no envio de doentes para o estrangeiro e dos avanços conquistados pela Junta desde a sua criação.

Médicos são vítimas do sistema de saúde

O Jornal de Angola procurou, na visão de um médico, avaliar as enfermidades que assolam o exercício da Medicina no país e o seu impacto na vida dos cidadãos. Desde as inquietações mais usuais no nosso quotidiano, às políticas do Estado direccionadas ao sector, o Dr. Carlos Mariano Manuel, professor titular da UAN e antigo PCA do Hospital Américo Boavida, não hesita em colocar o dedo na ferida, atribuindo responsabilidades e méritos a quem os merece. 

Só quero que as pessoas sejam felizes

Músico, intérprete e compositor distinguido como continuador das raízes do Semba, Paulo Flores abre hoje, de forma excepcional, a presença na quinta temporada do projecto “Show do Mês”, no Royal Plaza Hotel, em Talatona. Em entrevista ao Jornal de Angola, o cantor fala da carreira, que entra para a casa dos 30 anos: “As pessoas deixam-me falar sobre elas. Têm confiança na forma como exponho a nossa dor, a nossa mágoa e a nossa esperança. E, por tudo isso, 30 anos depois estar aqui. Cada vez a fazer mais músicas, mais letras. Tenho guardadas 60 ou 70. Tenho, talvez, 50 ou 60 convites para gravar. Não posso responder a todos. Há muita gente que me liga porque quer gravar um disco e acha que posso ajudar.”

IVA começa a ser cobrado em Janeiro do próximo ano

O Decreto Presidencial n.º 258/17, de 27 de Outubro, aprova o Plano Intercalar do Executivo, no qual podem ser vistas as acções necessárias a implementar, entre as quais a aplicação do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) no Orçamento Geral do Estado (OGE) de 2019. Neste quadro, a Administração Geral Tributária (AGT) prepara-se para introduzir, em Janeiro do próximo ano, o IVA de forma gradual, um imposto que, nos países da SADC, apenas Angola tem contribuintes que não tomaram contacto com aquele que é um dos impostos mais comedidos para as melhores práticas internacionais de tributação. Nesta entrevista, o coordenador do Grupo Técnico de Implementação do IVA, Adilson de Jesus Manuel Sequeira, leva-nos a perceber como o  imposto funciona e quais são os passos para a sua real efectivação no país.

"Temos de focar as acções no reforço da qualidade da água"

O director nacional das Águas, Lucrécio Costa, fala dos projectos de água que estão a ser implementados no país, em 132 sedes municipais, financiados pela Linha de Crédito da China, Banco Mundial (BM), Banco Africano de Investimentos (BAD), no âmbito do Programa de Desenvolvimento Institucional do Sector das Águas (PDSA). Lucrécio Costa afirma que, a nível das capitais de províncias, N’Dalatando apresenta um quadro que exige maiores cuidados. Em relação a outras cidades do país, sublinha que a cidade de Luanda tem problemas acrescidos devido a sua dimensão e falta de organização urbana. “A água é para todos, governantes, prestadores e beneficiários de serviços. Todos devem ter atitudes condicentes com boas práticas que garantam o desenvolvimento do país”, apela o responsável.

Tempo

Multimédia