Gente

A despedida de Gizela Riviera

Depois de cinco anos e meio de missão em Angola, a embaixadora de Cuba regressa ao seu país. Gizela Rivera despediu-se do Presidente da República. Antes, deslocou-se propositadamente à província do Cuanza-Sul, onde realizou a cerimónia oficial da sua despedida.

A diplomata destacou o simbolismo que o Cuanza-Sul representa para o povo cubano, já que aí tombaram muitos companheiros seus, que tiveram um papel importante na luta de libertação nacional. As marcas do contributo dos cubanos à causa de Angola, segundo a diplomata, estão presentes no carinho que os milhares de compatriotas seus têm recebido dos angolanos. Mais emocionante ainda  foi a cerimónia realizada pelos colegas e amigos, retratada na foto abaixo. Gizela Riviera (ao centro), na companhia do esposo, falou da saudade e das recordações que leva dos angolanos e pediu aos colegas para continuarem a dar o seu contributo ao desenvolvimento e bem-estar dos angolanos. Além de cubanos, a cerimónia contou com a presença de cidadãos de outros países, como Espanha, representada por Francisco Ania Cuervo (ao centro), director do consórcio hispano-luso integrado pelo Instituto Geológico e Mineiro de Espanha, Laboratório Nacional de Engenharia e Geológico de Portugal e a engenharia espanhola Impulso Industrial Alternativo, responsável por 37,5 por cento do Plano Nacional de Geologia (Planageo), o levantamento que vai determinar o potencial geológico e mineiro de Angola.

Tempo

Multimédia