Gente

Carlos Morais conquista segunda posição na FIBA

Armindo Pereira

O extremo angolano Carlos Morais ficou na segunda posição do concurso “Smash da Década”, promovido pela Federação Internacional de Basquetebol Associado (FIBA), com 63.887 votos dos internautas, num evento que distinguiu o melhor afundanço protagonizado entre 2010 e 2020, nos jogos das selecções.

Na votação feita via Internet foram levantadas suspeitas de fraude na disputa da final
Fotografia: M.Machangongo| Edições Novembro

No anúncio feito ontem, pelo site oficial do organismo, o “capitão” dos hendeca-campeões obteve 44 por cento das preferências, atrás do poste iraniano Arsalan Kazemi, que atingiu 56 por cento de um total de 80.658 votos.
Durante três semanas, o despique contou com 32 finalizações de várias competições globais e continentais, com todas as regiões continentais representadas.
Na sua conta oficial do Instagram, o internacional angolano agradeceu a todos pelos votos e pela campanha feita nos diversos meios de informação. De igual modo, felicitou o vencedor.

“A todos os portais, amigos, familiares e seguidores, não saímos em primeiro, mas voltámos a colocar o nome do país lá em cima. Melhor Dunk de África e segundo melhor do mundo”, escreveu o jogador de 34 anos e 1,88 metros.
O troféu do concurso inédito escapou a Angola, apesar da “melhor execução técnica” do jogador do Petro de Luanda, na opinião do comentarista da Rádio Cinco para a modalidade, Júlio Pinto “Viló”.
O resultado foi conhecido 48 horas além do previsto, depois da cogitação da possibilidade de interferência de piratas informáticos, na plataforma de votação.

De acordo com uma publicação do portal angolano “Shaint Sport”, a assessoria do “craque tricolor” informou, domingo último, que cidadãos iranianos “hackearam” a página e fizeram com que os votos para Carlos Morais revertessem, de forma fraudulenta, para o oponente daquele país do Médio Oriente.

Kazemi conquistou a “coroa” com um lance durante a realização do Torneio Olímpico de Qualificação em 2016, ao passo que o “dunk” do craque angolano aconteceu na partida diante de Moçambique, na fase preliminar do Grupo C, no Afrobasket'2013, na Costa do Marfim.
Antes de atingir a final, o iraniano mereceu a preferência dos internautas, ao eliminar Norvel Pelle (Líbano), Rui Hachimura (Japão) e Gabe Norwood (Filipinas), na conferência asiática, antes de suplantar o brasileiro Rafael Mineiro, na meia-final.
Morais venceu o poste senegalês Youssoupha Ndoye, com 58 por cento de votos. Eliminou na segunda fase o nigeriano Michael Gbinije (68) e Maurice Ndour (Senegal), (65), na terceira etapa.

Segundo a publicação, os fãs que participaram da votação concorrem para o sorteio de uma bola oficial da 18ª edição do Campeonato do Mundo China'2019. O vencedor vai ser confirmado brevemente.
Dos vários títulos na carreira, destaque para a conquista de cinco Campeonatos Africanos das Nações, Afrobasket´2005, 2007, 2009 e 2013. Em 2013, na cidade de Abidjan, Costa do Marfim, foi eleito Melhor Jogador (MVP) naquela prova continental. Nas edições de 2009, Líbia, e 2011, Madagáscar, foi o melhor marcador dos três pontos.

Em 2006, ao serviço do Petro de Luanda, clube que representa actualmente, conquistou a primeira Taça dos Clubes Campeões Africanos de basquetebol. Ao serviço do Recreativo do Libolo, em 2012, ergueu o segundo troféu. Em 2016 rumou para a equipa portuguesa do Sport Lisboa e Benfica onde conquistou cinco títulos: um Campeonato Nacional, uma Taça de Portugal, uma Supertaça e duas taças Hugo dos Santos.

Tempo

Multimédia