Gente

No Cazenga um jovem venceu e é hoje docente

Osvaldo Fernando Mboco nasceu no município do Cazenga - Luanda em 1987, filho de Jorge Ernesto Mboco e de Verónica João Kala. A Zona 18 - rua dos Comandos não dispunha de energia eléctrica e Osvaldo recorda-se de que sempre estudou à luz de velas.

O acesso à água era muito precário, as mulheres acarretavam o líquido em pesadas banheiras à cabeça. Nos dias de chuva, tudo ficava alagado e as ruas transformavam-se em lagoas.
Muitos jovens, em desespero, dedicavam-se à delinquência, aterrorizando os moradores.
Segundo de quatro filhos, de pais com origem bakongo, naturais de Ambaca, Cuanza-Norte, mas com maior tempo de vivência no Uíge, Osvaldo Fernando Mboco lembra-se de que o pai, funcionário público, saía sempre de casa às primeiras horas do dia, por volta das três, para prestar serviço de táxi a mulheres que vendiam carne de vaca no mercado.
A família tinha de acordar a essa hora para empurrar o carro e a mãe, doméstica, fazia trabalhos informais para ajudar nas despesas da casa, com viagens ao interior do país para comprar laranjas e outras frutas, que vendia no bairro.
Com os valores aforrados com os pequenos negócios, a família de Osvaldo Fernando Mboco conseguiu comprar um forno e a mãe passou a fazer pão, bolos e micondes e então passaram a acordar às duas horas para ajudar a barrar com margarina as pequenas formas dos bolinhos, porque antes das cinco horas começavam a chegar as mulheres que compravam para revender no mercado.
Os negócios da mãe Verónica estendiam-se sempre. O gelado de múcua fazia-os também despertar muito cedo para colocarem a zua (sumo de múcua) nos sacos para depois serem comercializados na rua ou na praça.
Assim, virando-se, os pais iam conseguindo proventos que impediam que os filhos desistissem da escola, ao mesmo tempo que lhes incutiam valores morais para a vida. “O respeito pelos mais velhos e pelas pessoas ajudaram-me a construir a minha personalidade e sempre que saía da linha normal na convivência com as pessoas lá estava o braço de ferro da minha mãe para me pôr na linha”, recorda Osvaldo.
O objectivo dos pais de Osvaldo, sem vacilações, foi sempre assegurar que os filhos estudassem. A irmã mais velha de Osvaldo, Catarina Gosvalda Kala Mboco, é licenciada em Direito, trabalha na Procuradoria Geral da República e de noite lecciona numa universidade
“Procurei sempre as melhores soluções para os desafios que a   adolescência e a entrada na idade adulta me colocavam, com o sentimento de andar cuidadosamente para não defraudar a confiança dos meus país”, enfatiza Osvaldo Fernando Mboco, que fez os estudos primários na escola António Carneiro, o segundo nível no Complexo Escolar do Cazenga, o ensino médio no IMNE António Jacinto e o ensino superior na Universidade Técnica de Angola (Utanga), no Curso de Relações Internacionais.
Foi sempre uma grande luta diária da família para não ficar na zona das lamentações e construir o que pode ser construído, sem autocomiseração. Assim, no meio de esforços financeiros titânicos, Osvaldo estuda, estuda sempre, termina os estudos, com o maior sucesso, até chegar a docente universitário e chefe de Departamento de Ensino e Investigação de Relações Internacionais e Ciências Jurídicas da Utanga.
Mas Osvaldo é insaciável quando se trata do conhecimento e assim decidiu frequentar o Mestrado em Gestão Pública na Especialidade de Políticas Públicas pelo Centro de Excelência e Pesquisas em Políticas Públicas e Governação Local da Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto. E foi ainda mais longe e está a terminar a parte curricular do Mestrado em Ciências Políticas e Sociais (em fase final de preparação da dissertação) pela Universidade Unida do Paraguai.
Desde 2016, ainda antes dos 30 anos, Osvaldo é analista de questões internacionais, com intervenções em diversos órgãos de comunicação nacionais e internacionais, dentre os quais a Rádio Ecclesia, Rádio Escola, Rádio Mais, Televisão Pública de Angola, TV Zimbo, Voz da América, Voz da Alemanha e actualmente é comentarista residente da Rádio MFM onde integra o painel do Programa Ponto Convergente.
Já este ano, Osvaldo Fernando Mboco criou a Oficina do Conhecimento, um projecto para realizar palestras na comunidade, para incentivar e difundir a informação, o conhecimento e capacitar os angolanos para os  assuntos de interesse nacional, nas escolas, praças, orfanatos, cadeias e nos bairros. “O meu sonho é estender o  projecto a todo o país, contribuindo para a promoção dos valores morais, cívicos, sociais, políticos e económicos que constituem os principais desafios do país”, diz Osvaldo.
Osvaldo Fernando Mboco é um jovem preocupado com o futuro do país. Suportado por uma infância e adolescência de sacrifícios e de trabalho árduo, ele diz querer que Angola seja um país melhor para se viver, onde quem governa tenha uma gestão participativa e inclusiva com todos os estratos da sociedade, porque, explica, o país não se constrói apenas com os políticos e os doutores mas sim com todos os cidadãos.

Tempo

Multimédia