Gente

O outro lado da Gente | Fineza Teta

Fineza Teta é artista plástica e já escreveu o seu nome com letras de ouro, ao tornar-se na primeira mulher a vencer o prémio Ens’ARTE 2014, categoria de Pintura, com a obra “Inquietações Culturais”. Já teve a oportunidade de concorrer ao cargo de secretária-geral da União Nacional de Artistas Plásticos (UNAP), há três anos, cargo ocupado por António Tomas Ana “Etona”. Para o mês de Março, em homenagem à mulher, está agendada mais uma exposição de arte da sua carreira artística.

Nome? Fineza Sebastião Teta dos Santos “Fisty”.

Idade? 41 anos.

Data de nascimento? 26 de Dezembro de 1977.

Naturalidade? Luanda, Ilha do Cabo (Restinga).

Estado civil? Casada.

Filhos? Três lindas filhas.

Calçado? 39.

Ocupação? Artista plástica e designer.

Sonhos? Ver a arte angolana reconhecida e resgatada e voltar ao Japão por um longo período.

Sente-se realizada? Às vezes tenho esta sensação, depois de realizar um grande feito, mas sei que existe muito mais para além do meu horizonte.

Tem carro próprio? Tenho.

E casa? Tenho.

Que importância têm as mulheres para si? Toda, sou uma delas e me sinto a continuidade da géneses da humanidade, em todos os sentidos.

O que faz nos tempos livres? Amo a cinematografia e tudo o que a envolve.

Como se veste de segunda a sexta-feira? Jeans, ténis, chinelas e T-shirt.

Aos fins-de-semana? Busco sempre roupas confortáveis.

Usa roupa de marca? Uso, desde a mais simples à de maior elegância. Não sou escrava da moda. Se a roupa for do meu agrado uso sim. Porque
não?

Cor preferida? Olhando para o meu guarda roupa, sou um autêntico arco-íris, mas amo todas.

Qual é a marca de perfume que usa? De momento, “La Vie Est Bella-Lancôme”.

Acredita em forças ocultas? Creio no poder do amor, no incrível, poderoso e maravilhoso amor: Deus.

Como reage a elas? Sempre com muito amor, porque Ele gera amor.

Onde passa as férias? Depende muito. Estou um pouco por toda a parte, mas estou a programar-me para começar a fazer férias internas (no país).
/>Cidade predilecta? Nagoya, Japão.

Virtudes? Lealdade.

Defeito? Confiança em demasia.

Vicio? Comer maçãs.

Ídolo? Jesus Cristo.

Livro? "Rich Dad Poor Dad".

Escritor? Robert T. Kiyosaki.

Uma boa companhia? A minha mãe. Aprendo muito com ela, é um amor indescritível.

Músico? Gosto de diversos géneros, desde o clássico ao moderno. Os meus gostos musicais são muito maduros para a minha idade. Aretha Franklin,
Leo Sayer, Mpongo Love, Teta Lando, Rui Mingas, Os Kiezos e Hill Song.

Comida? Kizaka feita pela minha mãe, com mandioca fervida.

Bebida? Descobri a quissângua e não quero mais nada!..

Sabe Cozinhar? Sou praticamente uma chefe de cozinha.

É ciumenta? Zelosa o suficiente.

Desporto? Já fui apaixonada por motocross, Michael Doolon, Jorginho Varela. Hoje, não sou muito ligada ao desporto. Mas vejo futebol vez ou outra.

Clube? Petro Atlético de Luanda.

Alguma vez mentiu? Claro!

Já foi enganada? Claro!

E como reagiu? Muito choro e outros sentimentos indescritíveis.

Qual é o ano que mais o marcou? 2018.

Porquê? Foi um ano muito importante para a minha carreira, afirmação pessoal e espiritual.

O que acha da corrupção? Um mal totalmente desnecessário. Um tremendo cancro social que deve ser extinguido em todas as sociedades.

Da homossexualidade? Levíticos 18:22 ou Romanos 1:21-27.

E da poligamia? O lar como base fundamental para sociedade, deve ser respeitado, protegido e honrado. Hebreus 13:4. Somente assim teremos
uma sociedade exemplar, quando voltarmos a edificar a família como pilar de base.

Tempo

Multimédia