Gente

O outro lado da Gente | Barros Miete

Descreve-se como uma pessoa dedicada à filantropia e à espiritualidade. Filho de um médico e de uma professora, Barros Miete tornou-se sociólogo e empresário. Sonha ver os filhos formados  pela Universidade de Harvard e diz que “a vida sem as mulheres é como um pássaro a voar apenas com uma asa”.   Fally Ipupa  e C4 Pedro são os seus músicos de eleição  e “Segredro da mente”, o livro que mais  o  marcou.

Barros Miete “Sacha”

Nome? Barros Miete “Sacha”.

Idade? 41 anos.

Data de nascimento? 06/07/1976.

Naturalidade?
Dolisie, República do Congo Brazzaville.

Estado civil?  Vivo maritalmente. 

Filhos?
6 filhos.

Calçado? 42.

Ocupação:
Sou empresário (PCA da Saiti Internacional) e sexólogo clínico.

Sonhos?
Ver todos meus filhos diplomados pela Universidade de Harvard.

Sente-se realizado?
Sim e abençoado pelo grande arquitecto do universo.

Tem carro próprio?
Sim.

E casa? Sim.

Que importância têm as mulheres para si? 
Importantíssimo valor. A vida sem as mulheres é como um pássaro a voar apenas com uma asa e sabemos que não é possível.

Como se veste de segunda a sexta-feira? 
Visto-me bem, consoante o ambiente. Gosto de vestir-me bem.
Aos fins-de-semana? Calção, t-shirt e sandálias.

Usa roupa de marca?
Sim, todas elas, até as roupas íntimas.
Cor preferida? Azul e branco.

Qual é a marca de perfume que usa?
Creed Aventus, Tom Ford Tobacco Vanille.

Acredita em forças ocultas? Sim e sou muito espiritual. />
Onde passa as férias? Calcutá, na Índia.

Cidade predilecta?
Ponta Negra.

Virtudes: 
Sou Humanitário e positivo.

Defeito: Teimosia e mulheres.

Vicio? Dançar e Facebook.

Ídolo:
O meu Guru.

Livro: 
“Segredro da mente”.

Escritor:  PR Sarkar.

Uma boa companhia?  A família.

Músico? Fally Ipupa e C4 Pedro.

Comida? Feijoada vegetariana.

Bebida?
Sumo de gengibre com hortelã.

Sabe cozinhar?  Sim.

É ciumento? Muito.

Desporto? Aikido,yoga , natação e golf.

Clube?
Progresso do Sambizanga e Real Madrid.

Alguma vez mentiu?  Sim.

Já foi enganado?
Muitas vezes.

Qual é o ano que mais o marcou? 12/06/2004.

Porquê?  Tornei-me pai pela primeira vez.

O que acha da corrupção? Um desequilíbrio mental.

Da homossexualidade? É uma crise da sociedade moderna, mas respeito.

E da poligamia? Existe, espero que seja legalizada constitucionalmente.

Tempo

Multimédia