Gente

O outro lado da Gente | Edilson Ngunza

Edilson do Rosário Ngunza é publicitário e apaixonado pela escrita. Lança, na sexta-feira, dia 10, pelas 18 horas, o romance "O Herdeiro", na União dos Escritores Angolanos, em Luanda.

Fotografia: Arquivo de Edilson Ngunza

No dia 11, pelas 16 horas, o autor leva a obra literária à portaria da Rádio Cuanza Sul, no Sumbe, sua terra natal. A par da literatura, Edilson Ngunza sonha realizar filmes memoráveis, gosta de ler Óscar Ribas e de ouvir canções de Paulo Flores.

Nome?
Edilson do Rosário Jorge de Ngunza.
Idade? 34 Anos.
Data de nascimento? 20/04/1983.
Naturalidade? Sumbe - Cuanza- Sul.
Estado Civil? Vivo maritalmente um grande amor.
Filhos? Uma filha.
Calçado? Sapatilhas.
Ocupação: Publicidade e escrita.
Sonhos? Realizar filmes memoráveis.
Sente-se realizado? Não.
Tem carro próprio? Sim.
E casa? Não.
Que importância têm as mulheres para si? O princípio e o fim da existência humana. Mãe, esposa e filha.
Como se veste de segunda a sexta-feira? Muito formal.
Aos fins-de-semana? Extremamente informal.
Usa roupa de marca? Não.
Cor preferida? Azul.
Qual é a marca de perfume que usa? Sou alérgico.
Onde passa as férias? No campo e acampado.
Virtudes: Sou um bom amigo.
Defeito: Teimosia.
Cidade predilecta? Rio de Janeiro.
Acredita em forças ocultas? Sim.
Ídolo: Michael Jackson.
Livro: "O Alquimista".
Escritor: Óscar Ribas.
Uma boa companhia? Os meus amigos.
Músico? Paulo Flores.
Comida? Cabidela de galinha.
Bebida? Vinho do Porto.
Sabe Cozinhar? Não.
É ciumento? Sim.
Desporto? Moto GP.
Clube? Petro Atlético de Luanda.
Alguma vez mentiu? Sim.
Já foi enganado? Não.
E como reagiu? Se tivesse sido ficaria decepcionado.
Qual é o ano que mais o marcou? 2007.
Porquê? Publiquei os meus primeiros contos na colectânea brasileira Cadernos Negros.
O que acha da corrupção? Uma injustiça social.
Da homossexualidade?
A liberdade de ser o que se é.
E da poligamia? Aceitação cultural.

Tempo

Multimédia