Gente

O Outro Lado da Gente | Marisa Júlio

O nome de Marisa Júlio está intrinsecamente relacionado com o teatro. A sua notoriedade nestas lides desperta atenção por assumir um cargo de chefia. É das poucas directoras e encenadoras de teatro em Angola.

Artista quer levar o teatro além-fronteiras
Fotografia: Roque Silva

O seu grupo, Amor à Arte, venceu a edição deste ano do Prémio Nacional de Cultura e Artes, na categoria de teatro. Ser apresentadora de um programa de televisão sobre produtos de beleza é um dos seus maiores sonhos.

Nome?
Marisa Francisco Júlio.

Data de nascimento?
4 de Maio.

Calçado?
40.

Ocupação?
Encenadora e vendedora de cosméticos.

Naturalidade?
Luanda.

Estado civil?
Solteira.

Filhos?
Dois.

Sonhos?
Desejo ser apresentadora de um programa de televisão sobre cosméticos (estética e beleza) e sonho internacionalizar o meu grupo de teatro (Amor à Arte).

Sente-se realizada?
Ainda não.

Tem casa própria?
Não.

E carro?
Não tenho.

Que importância as mulheres têm para si?
As mulheres são pessoas que transformam o mundo com o seu carisma, respeito e dedicação, com a sua luta diária para uma sociedade harmoniosa. São elas quem fazem as nações, independentemente de os líderes serem homens na maioria dos casos.

Como se veste de segunda à sexta-feira?
Uso calça ou saia comprida e algumas vezes vestidos.

E aos fins-de-semana? Uso colãs ou calças jeans com camisolas ou blusas.

Usa roupa de marca?
Sim, mas não escolho marcas. O importante é que me fique bem. Prefiro roupas não muito corriqueiras.

Cor preferida?
Gosto do arco-íris.

A marca do perfume que usa?
Shakira.

Acredita em forças ocultas?
Sim, mas não têm poder sobre mim.

Como reage a elas?
Entrego tudo nas mãos de Deus.

Cidade predilecta?
Washington, EUA.

Aonde passa as férias?
Em Luanda e na minha casa.

Virtudes?
Sou humilde e muito batalhadora.

Defeito?
Sou chata, às vezes complicada e stressada.

Vício?
O teatro.

Ídolo?
Toni Frampénio.

Livro?
Mestre Tamoda.

Escritor?
Wanhenga Xitu.

Uma boa companhia:
A minha família (marido e filhos).

Músico?
Marceny Neto.

Bebida?
Água.

Comida?
Funje de cabidela.

Sabe cozinhar?
Muito bem.

O quê, por exemplo?
Todos os pratos da culinária angolana e outros.

É ciumenta?
Um pouco.

O que acha dos homens que batem nas mulheres?
São cobardes, infelizes e complexados.

Desporto?
Futebol.

Clube?
1º de Agosto.

Alguma vez mentiu?
Várias vezes.

E já foi enganada?
Sim.

Como reagiu?
Fiquei no silêncio e orei.

Ano que mais a marcou?
2016.

Porquê?
O meu grupo de teatro (Amor à Arte) conquistou o Prémio Nacional de Cultura e Artes.

O que pensa da corrupção?
É fruto da falta de carácter e do imediatismo.

E do homossexualismo?
É loucura e pecado.

E da poligamia:
É uma falta de amor ao próximo e de amor a si próprio. Por isso considero errado.

Tempo

Multimédia