Gente

O outro lado da Gente | Osvaldo Mboco

Osvaldo Mboco é docente universitário, analista político, palestrante e responsável pela iniciativa Oficina do Conhecimento, cujo objecto social é levar informações à base de palestras e não só, nas salas do país, escolas e praças. Jovem talentoso e ambicioso, nasceu no bairro Cazenga. Osvaldo Mboco tem como meta ser um bom profissional de referência a nível nacional, para poder contribuir para a edificação deste país. Saiba mais do outro lado do docente Osvaldo Mboco.

Nome? Osvaldo Mboco.
Data de nascimento? 5 de Agosto de 1987.
Naturalidade? Cazenga, Luanda.
Filiação? Jorge Mboco
e Verónica João Kala.
Calçado? 42.
Ocupação? Docente universitário e comentarista político.
Estado civil? Solteiro.
Filhos? 3.
Sonhos? Ser um bom profissional, para que possa contribuir para a edificação deste país.
Sente-se realizado? Não.
Tem carro próprio? Tenho.
E casa? Tenho.
Como se veste de segunda a sexta-feira? Durante a semana, fruto do meu trabalho, tenho de me vestir de maneira formal.
E aos fins-de-semana? Uso roupas menos formais.
Faz uso de roupa de marca? Sim. Polo, Miguel Vieira, Tommy, Pierre Cardin, Sacoor.
Cor preferida?
Azul Tóquio e branca.
Qual é a marca do perfume que usa? Armani Code Ice e CHCH da Carolina Herrera.
Acredita em forças ocultas? Acredito em Deus.
Alguma vez foi aliciado? Já.
Como reagiu? Normal, por não ser a primeira vez em função da profissão que exerço. 
Onde passa as férias? Adoro viajar. Quando posso, saio para descobrir outras culturas de outros países, mas, nos últimos anos, passo em casa com a família.
Cidade preferida? Paris, França.
Virtude? Sou amigo dos meus amigos. Sei me colocar no lugar das outras pessoas.
Defeito? Quando estou irritado, falo sem maneiras. Tenho que começar a controlar isso
Vício? Ouvir música e ler livros.
Livro? Estou sempre a ler, agora, estou a ler o ‘Porque as Nações Fracassam’, mas o último que li foi ‘As 48 Leis do Poder’.
Escritores? Óscar Ribas, Agostinho Neto
e António Jacinto.
Uma boa companhia? A minha família.
Músicos? C4 Pedro, Matias Damásio, Yuri da Cunha, Gabriel Tchiema, R. Kelly, Jay-Z, SSP, Bonga, Lokua Kanza e Sebem.
Comida? Mufete e funji com feijão
de óleo de palma e carne seca.
Bebida? Água e sumos.
Sabe cozinhar? Não.
É ciumento? Controlado.
Desporto? Basquetebol.
Clube? 1º de Agosto.
Alguma vez mentiu? Claro. Quem nunca mentiu?
Já foi enganado? Já. Nos dias de hoje, os interesses do povo. 
O que acha da corrupção? Um mal que enferma a nossa sociedade e que precisa do envolvimento de todos nós para que tenhamos uma sociedade saudável.
Homossexualidade? Respeito, mas não consigo aceitar.
Poligamia? Não consigo aceitar a poligamia como algo normal, mas respeito devido a factores culturais africanos de determinados grupos étnicos e tribos. Isso vem acontecendo com mais frequência e de pessoas muito próximas a nós.
Ano que mais o marcou? Está a ser o 2018.
Porquê? Dei avanço a um projecto meu que se chama ‘Oficina do Conhecimento’, que tem como objecto social levar informações à base de palestras e não só nas salas do país, escolas e praças, e tem corrido tal como eu esperava.
Deputado ou  ministro, qual dos dois cargos escolheria? Deputado.
Porquê? Porque gosto de servir o país, representando.

Tempo

Multimédia