Gente

O Outro Lado da Gente | Teresa Fukiady

Teresa Fukiady é jornalista do jornal Nova Gazeta. Com apenas três anos na carreira jornalística, a sua pena já foi reconhecida a nível do continente africano. Este ano foi uma das finalistas do Prémio CNN de Jornalismo, na categoria de “Jornalismo Impresso”. A sorte não esteve do seu lado. O jornalismo foi sempre o seu sonho, mas a falta de dinheiro impossibilitou-a de inscrever-se em escolas onde ministram o curso. Ingressou para as lides do jornalismo a convite do editor-executivo do Nova Gazeta, Emídio Fernando. Saiba mais do Outro Lado da Gente de Teresa Fukiady.

Fotografia: César Esteves

Nome: Teresa Fukiady.
Idade: 24 anos.
Data de nascimento: 09 de Março de 1992.
Idade: 24 anos.
Calçado: 38/39.
Ocupação: Jornalista.
Naturalidade: Cabinda.
Estado civil: Solteira.
Filhos: Nenhum.
Sonhos: Vencer na vida e ser feliz.
Sente-se realizada: Ainda não.
Tem carro próprio: Ainda não.
E casa: Ainda não.
Comida: Não tenho preferência.
Bebida: Sumo de laranja.
O termo mulher, o que significa para si: Mãe, educadora, pilar de qualquer sociedade e guerreiras.
Como se veste aos fins-de-semana: Depende muito da ocasião. Mas geralmente uso vestidos e sandálias.
Uma boa companhia: A minha família.
É ciumenta: Sim.
Desporto preferido: Futebol e desportos motorizados.
Clubes: Petro de Luanda, Barcelona e Futebol Clube do Porto.
Alguma vez já mentiu: Já. Todo o mundo já alguma vez mentiu.
Onde passa as férias: Não tenho muitas opções. Passo em casa e com a família.
Usa roupa de marca: Não.
Cor preferida: Preto.
Qual é o perfume que usa: La Vie est Belle da Lancôme.
Virtude: Determinada.
Acredita em forças ocultas: Não.
Defeito: Orgulhosa.
Livro: “A quinta dos animais de George Orwell.
Escritor: Gabriel García Márquez.
Músicos: Muitos. Prefiro não citar.
Sabe cozinhar: Não sou uma profissional, mas sei cozinhar.
O que é por exemplo: Calulu de carne seca e funji.
Já foi enganada: Sim.
Ano que mais a marcou: 2013 e 2016.
Porquê: Em 2013, apesar de nunca ter estudado jornalismo, aceitei o desafio de me aventurar no mundo do jornalismo, no Jornal Nova Gazeta, depois de ter sido descoberta no Facebook pelo meu editor Emídio Fernando. Já o ano de 2016, por ter estado entre os 38 finalistas do mais prestigiado prémio de jornalismo em África, o CNN Multichoice African Journalist 2016. E mais ainda por ter sido a única angolana.
O que acha da corrupção: Um mal que deve ser banido, porque destrói o desenvolvimento de qualquer sociedade.
Homossexualidade: Não sou contra.
Poligamia: Não apoio.

Tempo

Multimédia