Gente

O outro lado da Gente| Boy Mula

Sonha subir grandes palcos nacionais e internacionais, ao lado de kuduristas consagrados como Puto Lilas e Rei Panda. Músico desde o ano 2011, Boy Mula enfrenta dificuldades a nível de patricínios, o que não lhe retira a vontade de trabalhar em prol do engrandecimento da cultura nacional. Nos tempos livres, o jovem de 19 anos escreve letras musicais e tem como ídolo o pai, o senhor Moisés José João.

Fotografia: Eduardo Pedro| Edições Novembro

Nome: José Simão João.

Idade:
19 anos.

Data de nascimento:
24 de Outubro de 1997.

Naturalidade:
Maianga.

Estado civil:
Solteiro.

Filhos:
Não tenho, por enquanto.

Ocupação:
Sou estudante e, nos tempos livres,tenho escrito algumas letras músicais.

Sente-se realizado:
Não, porque ainda tenho muitos objetivos e sonhos a concretizar.

Tem carro próprio:
Não tenho.

Casa própria:
Também não.

Que opinião tem sobre as mulheres:
São muito especiais, pela capacidade, determinação e força de vontade que têm.

Como se veste de segunda a sexta-feira:
De segunda a quinta, gosto de vestir calça jeans. Às sextas-feiras, uso calções.

E ao fim-de-semana:
Gosto de usar calções havainas e t-shirt.

Cor predileta:
Preto e branco.

Acredita em forças ocultas:
Acredito.

Onde passa as férias:
Tenho passado noutras províncias e também na capital  (Luanda). Pretendo conhecer todas as províncias do
nosso país e depois, quem sabe, conhecer o berço da humanidade.

Virtudes:
Sensibilidade.

Defeito:
Teimoso.

Ídolo:
O meu pai (Moisés José João).

Musico preferido:
Yanncik Afroman.

Comida predilecta:
Arroz com feijão.

Bebida:
Água e refrigerante.

Vícios:
Nenhum.

Livro:
"Bíblia Sagrada" e romances.

Escritor:
Victor Hugo Mendes.

Sabe cozinhar:
Sei cozinhar quase tudo.

É ciumento:
Sim, um pouco.

Desporto:
Basquetebol e futeboll.

Alguma vez mentiu:
Sim.

Já foi enganado:
Sim. Dessa ninguém escapa, nos dias de hoje.

Como reagiu:
Evitei muita coisa.

Ano que mais o marcou:
2015.

Porquê:
Porque me separei dos meus pais para viver com o meu tio, por motivos académicos.
O que acha da corrupção: É um problema que está ligado ao ser humano e tem crescido a olh
o nu, ultimamente.

E da poligamia:
Não condeno este facto, mas não dou voto favorável a esta situação.

Tempo

Multimédia