Gente

O outro lado da Gente| Cláudio Fénix

Cláudio Fénix é um talento que desponta no zouk. Com apenas 25 anos, o cantor e compositor já trabalhou com inúmeros nomes sonantes da música. Jovem de trato fácil, o autor do tema “Tudo para mim”, interpretado por Pérola, tem dois novos singles em fase promocional e prefere não se pronunciar sobre a poligamia.

Fotografia: Vigas da Purificação|Edições Novembro

Nome? Cláudio Paulo Cassova Tchombe.

Idade?
25 anos.

Data de nascimento?
14/03/1992.

Calçado?
39/40.

Ocupação?
Cantor e compositor.

Naturalidade?
Luanda.

Estado civil?
Solteiro.

Filhos?
Uma menina.

Sonhos?
Ser um dos nomes mais sonantes da música angolana.

Sente-se realizado?
Ainda não.

Tem carro próprio?
Ainda não.

E casa?
Também não.

Que importância têm as mulheres para si?
A mulher é fonte da vida. Mulher é sinónimo de amor e ternura, por serem mães, amigas e companheiras.

Usa roupa de marca?
Sim

Qual é a sua cor preferida?
As cores branca e preta.

Acredita em forças ocultas?
Não.

Como se veste de segunda a sexta-feira?
Depende da ocasião.

E aos fins-de-semana?
Opto por calças de ganga, camisolas mais extravagantes e sapatilhas, por serem dias agitados

Qual é a marca de perfume que usa?
Giorgio Armani.

Onde passa as férias?
Não tenho escolha. Já passei em vários locais, mas não foram programados.

Virtudes?
Paciência.

Defeito?
Teimosia.

Vício?
Música.
/>Ídolo? Os meus pais.

Livro?
“O meu livro de pensamentos”.

Escritor?
Pepetela e Victor Hugo Mendes.

Uma boa companhia?
A minha mãe (Joaquina Cassova) e a minha filha (Quinilsia).

Músico?
O norte-americano Joe.

Comida?
Gosto de todos os pratos que incluem feijão.

Bebida?
Água e sumo.

Sabe cozinhar?
Sim, cozinho muito bem.

O quê por exemplo?
Caldeirada, feijoada, massa com todos e muitos outros pratos.

É ciumento?
Todo ser humano é ciumento.

O que acha dos homens que batem nas mulheres?
Não são homens.

Desporto?
Futebol.

Clube?
Não tenho um clube de eleição, gosto de ver bom futebol.

Alguma vez mentiu?
Sim, algumas vezes.

Já foi enganado?
Sim.

Ano que mais o marcou?
2015.

Porquê?
Foi o ano que nasceu a minha  filha e o início da minha carreira como cantor.

O que acha da corrupção?
É um mal que deve ser erradicado de qualquer país.

Da homossexualidade? Não sou a favor, nem contra.

E da poligamia?
Prefiro não comentar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SAPO Angola

Tempo

Multimédia