Gente

O outro lado da Gente |Dila Makonda

O nome Dila Makonda é desconhecido de muitos leitores do espaço “O Outro Lado da Gente e do Jornal de Angola”. Este médico angolano é perito em urologia, a especialidade cirúrgica da medicina que cuida do trato urinário e do sistema reprodutor dos homens. Dila Makonda foi responsável pela área de urologia do Hospital Josina Machel. Casado e pai de quatro filhos, sonha em elevar o nome da urologia em Angola. Conheça o outro lado do médico Dila Makonda.

Fotografia: Cedida pelo Médico

Nome? Dila Makonda.
Idade? 48 anos.
Data de nascimento? 6 de Junho de 1970.
Naturalidade? Luanda.
Estado civil? Casado.
Filhos? Quatro filhos: dois rapazes e duas meninas.
Ocupação?  Médico urologista.
Sonhos?  Já realizei vários sonhos. Continua na fila elevar o nome da urologia em Angola ao lado da minha esposa e filhos.
Sente-se realizado? Não. Sinto que tenho muito para dar a Angola como médico.
Tem carro próprio? Sim.
E casa? Também tenho.
Que importância têm as mulheres para si? Divas eternas, seres especiais sem comparação.
O que acha dos homens que batem nas mulheres? Falta de controlo e puro acto de cobardia.
Como se veste de segunda a sexta-feira? Eu diria, de segunda a quinta-feira, adoro vestir-me a rigor. Nada mal um bom fato. A minha profissão exige. Na sexta-feira algo simples e desportivo.
E aos fins-de-semana?Calções, camisolas e calças de ganga.
Usa roupa de marca? Não escolho a roupa pela marca, mas sim pela qualidade.
Cor preferida? Azul e as suas tonalidades.
Qual é a marca de perfume que usa? Actualmente uso Tom Ford, mas guardo um especial olfacto para o Pacco Rabanne.
Acredita em forças ocultas? Não. Acredito em Deus.
Como reage a elas? Apenas observo com muita cautela com o objectivo de entender melhor a mentalidade  das pessoas  que acreditam na sua existência.
Onde passa as férias? Tenho preferência especial por cidades de países como Espanha, França e Itália.
Cidade predilecta? Veneza. />Virtudes? Paciência.
Defeitos? Tenho vários. A minha esposa e os meus amigos são os mais indicados para responder.
Vícios? Não tenho.
Ídolo? Fidel Castro e Albert Einstein.
Livro? Não tenho livros predilectos. Adoro ter entre as mãos livros relacionados com a minha profissão e, para variar, tudo sobre a cultura geral.
Escritor? Não tenho. Sempre que o autor me chame a atenção é motivo suficiente para entrar na minha biblioteca.
Desporto? Atletismo e futebol.
Equipa? Petro de Luanda e FC Barcelona.
Uma boa companhia? A família e bons amigos.
Músicos? Valdemar Bastos, Anselmo Ralph e Boyz II Men. Mas adoro uma boa música romântica.
Comida? Não tenho preferências. Desde a minha infância que os meus pais me ensinaram a apreciar tudo o que é comida.
Bebida? Vinhos, de preferência um bom vinho do Porto.
Sabe cozinhar? Um pouco.
O quê, por exemplo? Arroz doce e uma boa feijoada.
É ciumento? Sou muito discreto.
Alguma vez mentiu? Sim.
Já foi enganado? Sim.
Ano que mais o marcou? 2015 e 2016.
Porquê? Tive a oportunidade de abraçar o sonho de ser esposo e pai. Sempre adorei a vida em família.
O que acha da corrupção?Está presente em todas as partes como um mal difícil de combater, que beneficia e facilita poucos e prejudica muitos. 
Homossexualidade? Não só apologista, mas respeito o critério de cada.
Poligamia?  Atitude egoísta, negativa e pouco inteligente.

Tempo

Multimédia