Gente

O outro lado da Gente| Gelson Dias

Gelson Dias é percussionista profissional e integra o grupo África Angola Music, uma dupla que faz concertos com o som da música electrónica e da percussão. O artista, que tem Jesus Cristo como ídolo, dirige um projecto piloto sobre o ensino de instrumentos de percussão para crianças e adultos e sonha terminar a licenciatura em Psicologia.

Fotografia: Paulino Damião


Nome:
Gelson Dias Xavier.

Idade: 29 anos.

Data de nascimento: 25 de Maio de 1987.

Calçado: 41.

Ocupação: Estou dividido entre Percussionista e estudante de Psicologia na Universidade Técnica de Angola (UTANGA).

Naturalidade: Luanda.

Estado Civil: Solteiro.

Filhos: Por enquanto nenhum.

Sonhos: Terminar a licenciatura e ser reconhecido como percussionista.

Sente-se realizado: Ainda não.

Tem carro próprio: Agora já não tenho. O que eu tinha foi roubado.

E casa: Ainda não.

Que importâncias têm as mulheres para si: São a fonte da vida.

Como se veste de segunda a sexta-feira: Geralmente, a rigor.

E aos fins-de-semana:
Não sigo nenhum padrão. Visto-me de acordo com a ocasião.

Usa roupa de marca: Uso sim.

Cor preferida: Branco, porque é a cor que representa a paz.

Qual é a marca de perfume que usa: 212 VIP (Carolina Herrera).

Acredita em forças ocultas: Acredito.

Como reage a elas: Penso em Deus.

Onde passa as férias: Na maioria das vezes em Luanda.

Cidade predilecta: Luanda.

Virtudes: Humildade e respeito.

Defeito: Teimosia. />
Vício: A música e o trabalho.

Ídolo: Jesus Cristo.

Livro: A Bíblia. É um livro inspirado por Deus para a solução dos problemas da humanidade.

Escritor: O brasileiro Machado de Assis.

Uma boa companhia: A minha namorada.

Músico: Gabriel Tchiema, para relaxar, e Diclas One, para dançar.

Comida: Cozido.

Bebida: Coca-Cola.

Sabe cozinhar: Sei sim.

O quê, por exemplo: Arroz de legumes, feijão, massa com todos, caldeirada e salada fria.

É ciumento: Muito.

Bate nas mulheres: Nunca, apenas desprezo.

Desporto: Futebol e Formula 1.

Clube: Petro Atlético de Luanda.

Alguma vez mentiu: Já.

Já foi enganado
: Também já.

E como reagiu: Tive de mudar a forma de lidar com as pessoas.

Ano que mais o marcou: 2016.

Porquê: Vivi momentos de terror quando roubaram a minha viatura.

O que acha da corrupção: É uma das melhores formas de acabar com o sonho de desenvolvimento de uma nação.

Da homossexualidade: Respeito as escolhas de cada um. Mas prefiro não comentar porque posso ser mal interpretado.

E da poligamia: Não sou a favor nem contra. Deve haver uma lei que a proíba.

Tempo

Multimédia