Gente

O outro lado da Gente|Leopoldino de Almeida

 Leopoldino de Almeida é músico e sonha chegar a ministro da Cultura. Gosta de ouvir a obra musical deixada por Bangão e tem idolatria por José Eduardo dos Santos. Assume-se como pessoa ciumenta e, nos tempos livres, toca guitarra.  O ano de  2002  ficou-lhe, para sempre, gravado na memória, por ter sido nessa altura que  o país conquistou a paz, depois de um conflito armado que durou largos anos.

Nome: Leopoldino Silva de Almeida.
Idade: 35 anos.
Data de nascimento: 29 de Setembro de 1983.
Naturalidade: Luanda.
Estado civil: Casado. 
Filhos: Tenho cinco filhos. 
Calçado: 44.
Ocupação: Músico.   
Sonhos: Ser empreendedor no ramo musical e ministro da Cultura.    
Sente-se realizado: Ainda não. 
Tem carro próprio: Sim.
E casa: Não.
Que importância têm as mulheres para si: Elas têm muita importância. São a origem principal da vida humana.     
Como se veste de segunda a sexta-feira: A rigor. 
Aos fins-de-semana: Algo mais relaxante. 
Usa roupa de marca: Sim.
Cor preferida: Preto.  
Que marca de perfume usa: Intense Book.
Acredita em forças ocultas:Não, mas sei que existem. 
Onde passa as férias: Em casa. 
Cidade predilecta: Vila de Catete.   
Virtudes: Sou muito espiritual.   
Defeito: Sou ciumento e ansioso.  
Ídolo: O Arquitecto da Paz  e  presidente do partido dos camaradas, José Eduardo dos Santos.   
Livro: “A arte de falar em público” 
Escritor: Não me ocorre nenhum nome agora. 
Uma boa companhia: Uma guitarra.   
Músico: Bangão. 
Comida: Funji com peixe seco e verduras.   
Bebida: Vinhos. 
Sabe cozinhar: Sei. 
É ciumento: Sou muito ciumento. 
Que tipo de desporto mais aprecia: Futebol. 
Qual é o clube que apoia: Petro Atlético de Luanda. 
Alguma vez mentiu: Não quero atirar a primeira pedra. Já sim. 
Já foi enganado: Muitas vezes.  
E como reagiu: Na máxima calma, porque a traição faz parte do comportamento diário de muitos indivíduos nesse país. Muitos traem por inocência, outros propositadamente, por estarem acostumados a praticar esta acção.      
Qual é o ano que mais o marcou: 2002.
Porquê: Foi o ano em que país conquistou a paz em definitivo, depois de um conflito armado que durou quase 40 anos.
O que acha da corrupção:É um mal que destrói a economia de qualquer nação. Por isso, o combate deve ser sem tréguas.  
O que pensa da homossexualidade: Penso que é um espírito diabólico que tem estado a assolar o mundo, que deve ser combatido por estar a manchar o universo.    
E da poligamia: Não concordo. É um hábito que faz parte da cultura africana que, na minha óptica,  deve ser combatido.

Tempo

Multimédia