Gente

O outro lado da Gente|Yoléli de Brito

Yoléli de Brito é um dos rostos da TV generalista “online” Talatona. Com apenas 21 anos de idade, a repórter e operadora de câmara faz a cobertura de várias actividades ligadas à actividade cultural e social da população angolana. Alegre, simpática, ciumenta e viciada em chocolates, Yoléli trabalha igualmente em marketing digital e como modelo fotográfica.

Fotografia: DR

Nome completo: Yoléli Juli Vicente de Brito.

Data de nascimento:
15 de Novembro de 1996.

Naturalidade:
Espírito Santo, Brasil.

Estado civil:
Solteira.

Tem filhos:
Ainda não.

Tem carro próprio?:
Sim.

Ídolo:
A minha mãe (Julieta Vicente) e minhas irmãs.

Escritor predilecto:
Dorothy Koomson.

O último livro que leu:
“O Vendedor de Esperanças  (Velho Kipacaça)”, do angolano Lady Makeba.

Músico:
Beyoncé.

Uma boa companhia:
A minha família.

Onde passa as férias?:
Em várias províncias de Angola.

Qual é o seu maior sonho?:
Ter um “site” de entretenimento com conteúdos voltados maioritariamente para o público feminino angolano.

Sente-se realizada?:
Já obtive muitas conquistas, mas quero sempre mais. Penso que nunca me sentirei totalmente realizada, porque para mim a realização é um impulso para que persista atrás dos meus sonhos.

O que significam as mulheres para si?:
Para mim, mulher é sinónimo de irmandade. Cresci numa casa com muitas mulheres e, por isso, tenho a visão de que quando elas se unem são capazes de tudo. Somos símbolo de força, pois ser mulher numa sociedade machista não é fácil e só com união poderemos quebrar barreiras e conseguir a equidade social.

Como se veste de segunda a sexta-feira?:
O meu estilo é bem difícil de definir, pois o meu trabalho permite a versatilidade e eu adoro isso. Há dias em que me visto de forma muito formal, mas quando tenho um trabalho de campo o traje é o mais confortável possível.

E aos fins-de-semana?
: Sou mais descontraída. Gosto de usar calções curtos, vestidos mais soltos, blusas de alça e macacões.

Qual é a cor da sua preferência?:
Gosto muito de vermelho.

Que perfume usa?:
Sexy, Carolina Herrera.

Acredita em forças ocultas?: Acredito que essas forças ocultas existem, mas não é algo que tem grande influência sobre mim.

Como reage a elas?: Com normalidade.

Cidade predilecta:
Vitória, no Brasil.

Virtudes: Sou muito compreensiva, eficiente, persistente, comunicativa e alegre.

Vício: Sou eternamente viciada em chocolate.

Bebida:
Sumo de maracujá com manga.

Sabe cozinhar?: Sei o suficiente para não passar fome.

O quê, por exemplo?: Faço bem o estrogonofe de frango, o arroz e o feijão, por exemplo.

Prato predilecto:
Misto de grelhados com arroz e feijão.

É ciumenta?: Sou muito ciumenta, assumo que tenho de melhorar.

Desporto: Gosto muito de voleibol. Por acaso joguei essa modalidade desde os meus sete anos, no Brasil, depois em Angola, pelo Petro de Luanda e pelo Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências (ISPTEC).

Clubes: Petro de Luanda, Barcelona e Flamengo.

Alguma vez mentiu?: Se dissesse que nunca menti, seria mais uma mentira.

Já foi enganada?: Várias vezes, no campo amoroso, em questões profissionais e de amizades.

E como reagiu?: Fiquei muito chateada, sobretudo comigo mesma, por ter dado abertura para que isso acontecesse. Mas ultrapassei depois de muito exercício mental.

Qual o ano que mais a marcou?: O ano  2015 marcou-me negativamente.

Porquê?: Perdi o meu pai há três anos.

O que acha da corrupção?: É um problema individual, mas que afecta todos nós. É um erro pensar que só afecta os outros, porque ela manifesta-se todos os dias, em pequenos actos, que acabam por gerar problemas para uma nação.

Homossexualidade: A opção sexual de cada um só a ele diz respeito.

Poligamia: É um problema de carácter. Não se justifica de forma alguma esse tipo de atitude.

Tempo

Multimédia