Gente

O testemunho do padre Marcelino Pungulimwe

Depois de um ano na posse da "Pomba Dourada da Paz", pelos feitos empreendidos em prol do amor, doação e tolerância, no seio das crianças desfavorecidas, o director da Casa dos Rapazes, no Huambo, Padre Marcelino Pungulimwe, teve a honra de entregá-la ao Reverendo Frei Hans Stapel, em cerimónia realizada recentemente no Brasil.

A "Pomba Dourada da Paz" é um prémio internacional em cuja lista de galardoados despontam nomes  como Nelson Mandela, Papa Bento XVI, Angela Merkel, Barack Obama, Gorbachov e Dalai Lama. Segundo maior galardão internacional, depois do Prémio Nobel da Paz, a "Pomba Dourada da Paz" foi instituída por ocasião dos 60 anos da Declaração Universal dos Direitos do Homem das Nações Unidas, em 2008. O prémio, que simboliza a paz, a  serenidade e a harmonia entre Deus, os homens, e a natureza permanece um ano com o premiado e, depois deste período é concedido a outra personalidade ou instituição que luta pelo respeito à dignidade humana. A par do Padre Marcelino Pungulimwe, a cerimónia de entrega da "Pomba Dourada da Paz" contou entre outras figuras, com a presença da presidente do conselho de administração da Fundação Sol, Tânya Garcia, na qualidade de benfeitora da Casa dos Rapazes, desde 2014. As fotos são de autoria de Bany Guedes.

Tempo

Multimédia