Início

Executivo prevê modernizar Instituto de Meteorologia

Bernardo Capita | Cabinda

O Executivo prevê modernizar o Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET), equipando-o com sofisticados meios, para elevar a sua capacidade técnica e tecnologia, anunciou, em Cabinda, o  ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha.

Instituto de Meteologia vai ser equipado com meios modernos para responder aos novos desafios
Fotografia: João Gomes| Edições Novembro

O ministro, que falava por ocasião do Dia Mundial da Meteorologia, disse que a modernização incluiu a aposta na formação, dentro e fora do país, e a renovação de recursos humanos. Reconheceu que não se trata de um desafio fácil, pelo que apelou para a união de todos, visto ser este um sector fundamental.
José Carvalho da Rocha realçou a importância do serviço de meteorologia e geofísica no apoio ao desenvolvimento económico e social do país. “As informações, quer sobre o clima, quer sobre o tempo, são muito úteis, pois evitam os riscos de  acidentes.”
O Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, disse, tem estado a financiar a formação de funcionários do INAMET, quer no país quer no exterior, com licenciaturas e doutoramentos, no interesse de potenciá-lo em recursos humanos de excelência e qualidade.

Internet livre

O Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação colocou à disposição da população de Cabinda o sistema de Internet livre em três pontos de maior confluência de utilizadores.
O sistema está inserido no projecto”Angola Online” que aquele Ministério leva a cabo em todo o país, com objectivo de facilitar o acesso à internet às pessoas de pouca possibilidade financeira, com particular realce aos estudantes dos diversos níveis de ensino.
Os largos da Igreja Rainha do Mundo, Dr. António Agostinho Neto e  o recinto do Instituto Superior de Ciências da Educação(ISCED) são os três pontos onde foram instalados os sistemas de Internet livre.
O ministro José Carvalho da Rocha, membros do Executivo e outras entidades locais testemunharam a entrada em funcionamento do sistema de Internet livre.
Em Cabinda, o ministro inaugurou pontos públicos de Internet nos largos Agostinho Neto e Rainha do Mundo, na Universidade 11 de Novembro, além do centro digital na localidade de Chiazi, arredores da cidade. O ministro visitou também os Correios de Angola, a Angola Telecom e as futuras instalações do INACOM e da Mediateca local.
O director-geral do Instituto Nacional do Fomento da Sociedade da Informação, Miguel Cazevo, disse que os pontos de acesso têm um raio de acção de 300 metros e a cada utilizador são permitidas  duas horas de navegação, fora do qual o sinal é bloqueado, pois o sistema dispõe de um dispositivo “inteligente” que reconhece a marca  do computador e do telemóvel inserido na rede.
Miguel Cazevo esclareceu que o projecto “Angola Online” visa  a massificação dos serviços de Internet à população, especialmente para os jovens. A meta é  atingir a  cobertura à escala nacional.

Tempo

Multimédia