Mundo

17 condenados à morte por ataques contra igrejas cristãs coptas

Um tribunal militar egípcio condenou à morte 17 pessoas pelo envolvimento nos ataques contra igrejas coptas cristãs, em 2016 e 2017, na altura reivindicados pelo Estado Islâmico e dos quais resultaram dezenas de vítimas mortais.

Fotografia: DR

A Amnistia Internacional já se pronunciou contra as sentenças tendo referido que elas não obedecem “aos mais elementares direitos do homem”, alegando que foram proferidas sem que “os réus tivessem direito a uma defesa justa” e sublinhando que este julgamento deveria ter decorrido num tribunal civil, visto os réus não serem militares.
O mesmo tribunal condenou no mesmo processo dez pessoas à prisão perpétua e outras dez a penas que oscilam entre os 10 e os 15 anos, sendo de referir que todas estas decisões judiciais são passíveis de recurso.
Desde 2014 os tribunais egípcios já sentenciaram com diversas penas mais de 15 mil pessoas no país, processo que tem sido criticado por organizações dos direitos humanos.

Tempo

Multimédia