Mundo

51 mil crianças estão em risco por perturbações nos serviços de saúde

A ONU alertou ontem que cerca de 51 mil crianças com menos de cinco anos podem morrer este ano no Médio Oriente e Norte de África se continuarem as perturbações nos serviços essenciais de saúde devido à pandemia da Covid-19.

Crianças do norte de África e do médio oriente vivem pertubações
Fotografia: DR

“Os sistemas de saúde registam uma pressão sem precedentes devido à pandemia da Covid-19 e, embora não haja muitos casos do novo coronavírus em crianças na região, é claro que o vírus afecta directamente a sua saúde”, sublinham o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) num comunicado conjunto. Se a perturbação dos serviços de saúde e de nutrição de base continuar, “mais de 51 mil crianças menores de cinco anos podem morrer na região até ao final de 2020”, alerta o texto.

Esta “projecção sombria” deve-se nomeadamente ao facto “de muitos profissionais de saúde da linha da frente terem desviado os seus esforços para responder à epidemia” da Covid-19.

Além disso, “as restrições de movimento e os obstáculos económicos impedem ainda mais o acesso das populações aos cuidados de saúde”, adianta o comunicado. O UNICEF e a OMS pedem o “recomeço pleno das campanhas de vacinação e dos serviços de nutrição, com medidas de prevenção rigorosas face ao vírus”.

A pandemia causou mais de 431.193 mortos e infectou mais de 7,8 milhões de pessoas no mundo, desde o aparecimento do novo coronavírus em Dezembro na China, segundo um balanço da agência France Press.

Tempo

Multimédia