Mundo

África é prioridade da Rússia no combate ao proteccionismo

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Lavrov, colocou ontem África como uma das prioridades da política externa do país, apoiando o multilateralismo contra as tendências proteccionistas de países ocidentais, como os Estados Unidos.

Fotografia: DR

“O nosso país é contra guerras comerciais e sanções unilaterais”, afirmou Lavrov, nos encontros do Afreximbank, o banco pan-africano com sede no Cairo que tem como principal foco o financiamento e promoção do comércio e investimento no continente. “Queremos comércio entre todos e não só entre alguns”, acrescentou o ministro, sem se referir às políticas proteccionistas dos EUA.
O ministro russo considerou que a realização das jornadas do banco em Moscovo constitui um "testemunho do compromisso e das relações entre a Rússia e África", assumindo a herança soviética na luta pela emancipação do continente. “O nosso país não fez, nem tem herança colonial em África”, não “fez a barbárie”, ajudou “no combate ao colonialismo” e a estabelecer os actuais estados, recordou Lavrov. Para o Governo russo, o objectivo da comunidade internacional deve ser "providenciar soluções africanas para os problemas africanos" em vez de impor modelos de outros países.

Tempo

Multimédia