Mundo

Ataque “jihadista” mata nove militares

Nove soldados foram mortos, quarta-feira, durante um ataque levado a cabo por homens armados no noroeste da Nigéria, região onde estes grupos aterrorizam e sequestram aldeões e roubam gado, disseram, ontem, fontes do Exército nigeriano.

Fotografia: DR

“Dezenas de bandidos atacaram um posto militar na vila de Anka, estado de Zamfara, matando nove soldados, revelou a agência de notícias France Press.
“Perdemos nove homens nesse ataque”, disse um oficial do Exército nigeriano em Gusau, capital do estado de Zamfara. De acordo com o mesmo responsável, “está em curso uma investigação para determinar as circunstâncias em que ocorreu o ataque.”
Para um morador de Anka, Bube Mani, o ataque parece ser uma reacção de vingança por o Exército ter levado a cabo uma operação na qual matou muitos homens armados e destruiu um dos acampamentos numa floresta próxima, no início de Outubro. Este é o primeiro grande ataque naquela região, em dois meses, desde que os grupos armados e as autoridades começaram a negociar um cessar-fogo.
A situação é muito preocupante na região, que abrange os estados de Katsina, Zamfara, Kaduna e Sokoto, onde nos últimos 12 meses tem havido infiltração de grupos islâmicos.
As comunidades rurais formaram milícias de autodefesa para combater a escassez de polícias ou militares, mas essas milícias são também acusadas de execução de suspeitos de pertencerem aos grupos armados, sem certeza, o que agrava a violência.
A violência naquela região originou um deslocamento maciço de pessoas, bem como no vizinho Níger e, ainda recentemente, a Organização das Nações Unidas manifestou preocupação com a deterioração das condições humanitárias e de segurança na zona.

 

Tempo

Multimédia