Mundo

Combate ao ébola suspenso devido à instabilidade militar no leste da rdc

As autoridades sanitárias da República Democrática do Congo (RDC) decidiram suspender temporariamente os esforços de combate ao ébola na cidade de Beni devido aos constantes ataques armados de forças rebeldes. 

Fotografia: DR

O anúncio foi feito este fim de semana depois de, mais uma vez, os rebeldes terem atacado um centro de emergência na cidade onde era prestada assistência médica a pessoas infectadas com a doença.

Neste último ataque, alguns elementos da Organização Mundial de Saúde (OMS), que se encontravam nas referidas instalações, foram obrigados a fugir não havendo ainda informação segura sobre a existência de eventuais vítimas mortais. As autoridades congolesas acusaram os rebeldes ugandeses das Forças Democráticas Aliadas, criadas nos anos 90, de serem as responsáveis pela instabilidade reinante na região e que impede a assistência médica eficaz às vítimas do ébola.

A meio da semana passada, sete capacetes azuis e 12 soldados congoleses morreram na sequência de uma operação conjunta contra o grupo Forças Democráticas Aliadas.


Tempo

Multimédia