Mundo

Conselho de Segurança prolonga sanções em vigor

O Conselho de Segurança da ONU adoptou na madrugada de sexta-feira uma resolução apresentada pelos Estados Unidos da América (EUA), que prolonga as sanções contra o Sudão do Sul.

Proposta dos Estados Unidos visa o Governo de Salva Kiir
Fotografia: DR

Votada a favor por nove membros, contra seis abstenções, o projecto de resolução será adoptado como a resolução 2418.
A adopção de uma resolução pelo Conselho de Segurança precisa de nove votos favoráveis, desde que nenhum dos membros permanentes, nomeadamente a China, EUA, França, Reino Unido e Rússia usem o seu poder de veto.
A resolução 2418 renova uma proibição de viajar e congela os bens de certos indivíduos e organismos até 15 de Julho de 2018.
Impõe também a seis pessoas, entre as quais altos responsáveis do Governo, a proibição de viajar para o exterior e o congelamento dos seus bens, e ameaça o Sudão do Sul de um embargo de armas caso as partes não ponham fim aos combates e não assinem um acordo político viável.
Entretanto, a crescente intensificação dos combates entre soldados e rebeldes no Sudão do Sul deixou nas últimas horas 22 mortos e 72 feridos, em ambas as partes e entre a população civil, anunciou um jornal local.
“As vítimas dos confrontos incluem crianças e mulheres, muitas das quais também foram violadas por grupos”, acrescentou o jornal “Sudan Tribune”.
O Mecanismo de Controlo de Cessar-Fogo e Mecanismos Transitórios de Segurança confirmou o agravamento das hostilidades entre as partes em conflito, mediante um novo relatório sobre este país devastado pela guerra desde finais de 2013.
A instituição condenou a contínua violação do cessar-fogo, acordado em Dezembro do ano passado, em confrontos cujo fogo cruzado matou um grande número de civis.

Tempo

Multimédia