Mundo

Diane Rwigara ilibada do crime de “insurreição

Um tribunal de Kigali ilibou hoje a dissidente ruandesa Diane Rwigara, e a sua mãe, do crime de "incitar a insurreição" e que lhe poderia valer 22 anos de prisão.

Fotografia: DR

Diane Rwigara, de 37 anos, que estava igualmente indiciada do crime de "falsificação", defendeu que o seu julgamento e o da sua mãe, Adeline de 59 anos, tinham uma "motivação política, pelo que admitia poder ser condenada.
Activista dos direitos humanos formada nos Estados Unidos, devido a este processo judicial pendente foi impedida de participar nas eleições de Agosto de 2017, que Paul Kagame acabou por vencer com 98 por cento dos votos, tendo sido libertada sobre fiança em Outubro desse ano após ter estado mais de um ano presa.
As acusações que sobre ela pendiam estavam relacionadas com críticas ao governo, entendidas como apelo à insurreição, e fraude, por ter supostamente falsificado assinaturas para se apresentar nas eleições como candidata independente.

Tempo

Multimédia