Mundo

Ex-Vice Presidente é fugitivo da Justiça

O ex-Vice-Presidente do Zimbabwe, Phelekezeka Mphoko, foi declarado ontem fugitivo da Justiça, na altura em que foi convocado pela Comissão Anti-Corrupção para responder a alegações de abuso de poder, noticiou a Prensa Latina.

UA saúda transição no Sudão
Fotografia: DR

O grupo de investigadores convocou Mphoko, de 79 anos, para dar a sua versão sobre o abuso do cargo como Vice-Presidente (2017) e por ter ordenado a libertação ilegal de Moses Juma, ex-director executivo da Administração Nacional de Rodovias do Zimbabwe, que havia sido preso e acusado de tirar proveito da sua posição em benefício próprio.
O jornal oficial The Herald informou que Mphoko resistiu a ser preso no sábado e prometeu ir a uma delegacia de Polícia em Bulawayo, a segunda cidade mais importante do país, na segunda-feira para depor perante os membros da comissão.
Na segunda-feira à tarde, o ex-Vice-Presidente anunciou que estava a caminho, mas quando chegou à frente da estação, afastou-se em alta velocidade.
Os porta-vozes do organismo de investigação declararam-no um “fugitivo da Justiça” e o seu paradeiro ainda é desconhecido.

Marcha />As forças de Defesa e Segurança do Zimbabwe proibiram, na segunda-feira, uma marcha da oposição, em Bulawayo. É a segunda proibição, depois de na sexta-feira a oposição ter sido igualmente proibida de manifestar-se, alegadamente para evitar “desordem pública”, segundo o porta-voz da Polícia, Paul Nyath, citado pela agência Reuters.
O Movimento para a Mudança Democracia (MDC), principal partido da oposição que convocou a manifestação, justifica as marchas, por causa da difícil situação económica que o país vive, mormente a penúria alimentar, de combustível e uma forte inflação de 175 por cento, bem como a escassez de divisas, apesar das reformas económicas prometidas pelo actual Executivo, que forçou à renúncia de Robert Mugabe, em Novembro de 2017.

Tempo

Multimédia