Mundo

Falta de verbas pode condicionar as eleições

A Comissão Nacional de Eleições da Guiné-Bissau advertiu, ontem, que a falta de disponibilização de fundos pode comprometer a realização das eleições presidenciais, marcadas para 24 de Novembro, noticiou ontem a Lusa.

Felisberta Vaz, porta-voz do CNE fala à imprensa em Bissau
Fotografia: Dr

Num comunicado lido à imprensa, na sede, em Bissau, a CNE alertou para a necessidade de “promover acções concretas e céleres junto dos potenciais financiadores” para a disponibilização dos fundos prometidos, “caso contrário, o não cumprimento em tempo útil, implicará a sobreposição de actividades operacionais e perigará o escrupuloso cumprimento da data de 24 de Novembro para as eleições presidenciais”.
Segundo o comunicado, lido por Felisberta Vaz, porta-voz da CNE, até à data “nenhum fundo foi desbloqueado pelo Programa da ONU para o Desenvolvimento (PNUD), na qualidade de gestor de fundos doados pela comunidade internacional, alegando que as verbas prometidas pelos parceiros de desenvolvimento ainda não foram depositadas nas suas contas bancárias por razões burocráticas”.
Segundo a ministra da Administração Territorial, Odete Semedo, as eleições presidenciais estão orçadas em 5,9 milhões de euros. A União Europeia já anunciou um apoio de um milhão de euros, o Brasil 50 mil euros, a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental 1,5 milhões de euros, o Japão 674 mil euros, e o PNUD 89 mil euros.

Tempo

Multimédia