Mundo

França vai devolver património ao Benin

Os Governos francês e beninense chegaram sexta-feira a acordo sobre a devolução pela França de 26 objectos saqueados pelas tropas coloniais francesas em 1892 nos Palácios Reais do Abomei, mas ainda não se entenderam sobre o calendário da reparação histórica.

Fotografia: DR

No início de Julho, o ministro francês da Cultura, Franck Riester, anunciou a intenção de devolver os objectos sagrados ao antigo Reino do Daomé, actual Benin, antes mesmo da adopção formal de uma lei que legitime o processo, sublinhando que os totens e outros ceptros reais, exigidos por aquele país africano, “devem poder ser aí vistos, admirados e estudados”.
O Benin não tem, porém, assim tanta pressa. “À proposta francesa respondemos paciência, guardem as peças durante mais algum tempo até que estejamos mesmo preparados”, disse José Pliya, director da Agência beninense de promoção dos Patrimónios e do Turismo (ANPT), citado pela agência France Press.
Em Novembro, recordou o mesmo responsável, “o Presidente Emmanuel Macron surpreendeu o mundo inteiro ao anunciar a restituição sem demora destes 26 objectos” e o Benin saudou “a coragem” de França para dar este passo histórico. O Benin tem no turismo um dos principais pilares do seu desenvolvimento económico.

Tempo

Multimédia