Mundo

Gémeas siameses morrem com 21 anos de idade

Duas gémeas siamesas, com 21 anos de idade, acabaram por morrer este semana na Tanzânia vítimas de complicações respiratórias.

Fotografia: DR

As gémeas, que estavam a ser acompanhadas por uma equipa internacional de médicos, dado o facto de terem batido o recorde africano de longevidade congénita, partilharam durante estes 21 anos o mesmo fígado, mas tinham corações, cabeças e ombros separados. Sendo um caso de estudo para a medicina internacional, as siamesas eram acompanhas por médicos de diferentes nacionalidades tendo sido internadas em Dezembro do ano passado devido a problemas cardíacos de uma delas, acabando agora ambas por falecer por problemas respiratórios. O Presidente John Magufuli, que havia considerado a vida das gémeas, Maria e Consolata, um "assunto de Estado", já manifestou o seu pesar junto da família das vítimas. "África a obrigação de olhar por todos os seus filhos, independentemente das circunstâncias em que estejam", disse John Magufuli que tinha garantido o acesso das gémeas a uma universidade para que pudessem cumprir o sonho de serem professoras.

Tempo

Multimédia