Mundo

Governador detido por ordenar assassinato da antiga namorada

Victor Carvalho

Uma onda de indignação popular eclodiu subitamente no Quénia depois de ser conhecida a acusação que foi feita ao governador Okoth Obabo, de ter ordenado o assassinato da sua antiga namorada, uma jovem estudante de 26 anos, depois de saber que esta estava grávida de sete meses, suspeitando que o filho fosse seu

Fotografia: DR

A detenção do governador Okoth Obado, da provincial queniana de Migori County, foi recebida pela sociedade queniana com um imenso entusiasmo, culminando a forte onda de indignação que se gerou depois que se soube que ele era suspeito de ter ordenado o assassinato de uma antiga namorada.

De acordo com a acusação, Okoth Obado terá contratado dois homens que espancaram até à morte Sharon Otieno, uma jovem estudante de 26 anos com quem terá mantido uma relação amorosa, depois de saber que esta estava grávida de sete meses.

A detenção do governador, casado e que clama inocência, efectuou-se após semanas de uma enorme indignação popular expressa através das redes sociais e culminada este fim de semana com uma concorrida manifestação à porta da sua residência.

De acordo com a autópsia, divulgada pelas autoridades através das redes sociais, Sharon Otieno foi espancada com cinco marteladas na cabeça, tendo também sido esfaqueada na barriga, sendo o seu corpo encontrado numa floresta perto da zona onde residia.

Num pronunciamento público feito para anunciar a detenção do suspeito, o Procurador-Geral do Quénia, Noodin Haji, referiu que dois assistentes de Okoth Obado foram igualmente detidos, indiciados por serem os autores materiais do crime.

" Sharon Otieno e o bebé que carregava na barriga perderam as vidas de um modo horrível pelo que faremos tudo o que a lei permite para que se faça justiça", disse Noodin Haji no pronunciamento à imprensa.

EM DESENVOLVIMENTO...

 

Tempo

Multimédia