Mundo

Governo promete reformas para superar a crise

O primeiro-ministro do Lesotho, Thomas Thabane, anunciou ontem em Maseru, o início formal do processo de reformas recomendado pela Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), para superar a actual crise política no país.

Ao falar numa sessão extraordinária do Parlamento, Thabane afirmou que o país tem enfrentado nos últimos 52 anos vários desafios, traduzidos na falta de estabilidade política, segurança e má administração da justiça.
O dirigente recordou que à luz desses acontecimentos, o Governo solicitou o apoio da SADC e da comunidade internacional, que responderam positivamente ao chamamento para ajudar a superar a situação de instabilidade política e insegurança. A nação do sul de África, sem saída para o mar, viveu um colapso do Estado de Direito em Setembro de 2017, na sequência do assassinato do comandante da Força nacional de Defesa, tenente-general Khoante Motsomotso.
Como resultado, a SADC desdobrou a sua missão militar preventiva no Lesotho, no passado dia 2 de Dezembro, por um período inicial de seis meses. A sustentar a decisão, o organismo regional explicou que o objectivo era facilitar o estabelecimento de um clima seguro, estável e pacífico para a implementação de um diálogo destinado a estabilizar a situação política e de segurança no país.

 

Tempo

Multimédia