Mundo

Guterres lamenta ataque ao campo militar e pede justiça

O Secretário-Geral da ONU, António Guterres, condenou hoje o ataque contra o campo militar de Koutougou, no Burkina Faso, considerado como um dos mais graves ocorridos no país este ano.

Secretário-Geral da ONU, António Guterres
Fotografia: DR

Através de uma declaração, Guterres expressou condolências às famílias dos falecidos, bem como ao povo e Governo de Burkina Faso, revelou a AFP. Guterres condenou igualmente os contínuos ataques indiscriminados contra populações civis e pediu às autoridades que garantissem que os criminosos fossem levados à Justiça sem demora. “Todas as acções militares devem ser realizadas de acordo com os direitos humanos e o Direito Internacional Humanitário”, disse António Guterres.
No ataque a um campo militar na província de Soum, ocorrido em 19 de Agosto, pelo menos, 12 soldados do Exército burkinabe morreram, informaram relatórios locais. Após o massacre, alguns dos assaltantes foram mortos com o recurso a meios aéreos.
 

Tempo

Multimédia