Mundo

Jihadistas do Boko Haram são condenados em tribunal

A Justiça do Chade condenou, após julgamento, 97 membros do grupo "jihadista" nigeriano Boko Haram, por terrorismo, a penas de prisão de dez a 20 anos, anunciou hoje o ministro da Justiça, Djimet Arabi, citado pela AFP.

Fotografia: DR

No mesmo julgamento, dez pessoas foram absolvidas em virtude da presunção de inocência, das quais uma por ser menor de idade, declarou o governante. Foram igualmente condenados 240 rebeldes da União das Forças de Resistência (UFR).
Os ataques atribuídos ao Boko Haram, na região do Lago Chade, na sua maioria visando posições das Forças Armadas, multiplicaram-se desde Junho de 2018.
No fim de Março último, foram mortos 23 soldados  chadianos, num ataque a uma base avançada, na margem Nordeste do Lago.
Um outro ataque do mesmo grupo, ocorrido a 21 de Junho, matou 11 militares chadianos.
A insurreição do Boko Haram, que começou em 2009, no Nordeste da Nigéria, e a sua repressão pelas Forças Armadas, já causaram 27 mil mortos e 1,8 milhões de deslocados, no país, estendendo-se para o Níger, Chade e Camarões.
Desde 2015, os países da região combatem o Boko Haram, com uma força multinacional mista (FMM), uma coligação regional envolvida na região do Lago Chade, com a ajuda de comités de vigilância composta por habitantes locais.

Tempo

Multimédia