Mundo

Kabila discursa uma hora sem desvendar futuro político

Victor Carvalho

Num discurso que durou cerca de uma hora, o Presidente da República Democrática do Congo (RDC), Joseph Kabila, falou quase de tudo menos daquilo que por que mais se esperava: o seu futuro político.

Fotografia: DR

Pelo facto de ter sido anunciado há já alguns dias, com a devida pompa e circunstância, o discurso de Kabila era ansiosamente aguardado pela comunidade nacional e internacional, pois podia servir de referência para se desfazerem as dúvidas sobre a sua posição em relação às eleições agendadas para o dia 23 de Dezembro.
Mas, o mais próximo que ele esteve deste assunto foi quando, já no final do discurso, disse que estava “verdadeiramente” engajado no “respeito pela Constituição” e que as eleições seriam totalmente custeadas pelos cofres do Estado.
Antes, Joseph Kabila tinha já dito que estava empenhado no projecto político de “promoção dos ideais democráticos” para a salvaguarda do patriotismo e da independência nacional. “A RDC nunca deu a ninguém lições de como promover a democracia e, por isso, também não está disposta a aceitá-la, seja de quem for, muito menos daqueles que a assassinaram nos seus países”, disse.
Outro tema abordado por Kabila, quando discursava no Parlamento, teve a ver com os reflexos que o crescimento demográfico do país têm na economia nacional.

Tempo

Multimédia