Mundo

Mercenários acusados de torturar civil na RCA

Militares ou mercenários russos terão torturado pelo menos um civil na República Centro-Africana (RCA), segundo um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), que abriu uma investigação.

Fotografia: DR

De acordo com o documento da ONU, datado de 15 de Janeiro, do qual a AFP consultou uma cópia, um homem originário de Bambari, no centro do país, teria sido detido no mercado da cidade, depois de denunciado como membro das milícias dos ex-Seleka, o que negou, garantindo que é um simples comerciante.
Os militares russos levaram-no para a sua base em Bambari, onde o terão torturado durante cinco dias, retalhando-lhe as costas com uma faca e cortando-lhe um dedo. O relatório da ONU é integrado por fotografias que mostram a mão mutilada do homem, bem como as suas costas com numerosas cicatrizes. />Em declarações prestadas à AFP, em Bangui, o homem, que se disse chamar Mahamat Nour Mamadou, afirmou ter sido “detido no dia 11 de Janeiro, na rua”, por soldados das Forças Armadas centro-africanas (FACA).
A Séléka é o nome de uma antiga coligação de grupos armados que, provenientes do norte do país, derrubaram o Presidente François Bozizé, em 2013.
Bambari, cidade estratégica, foi palco nos últimos meses de confrontos entre grupos armados e as autoridades e militares da missão das Nações Unidas.

Tempo

Multimédia