Mundo

Militares invadem sede da oposição

Os militares que estão actualmente no poder em Cartum foram ontem acusados de terem invadido sábado uma das sedes da Associação dos Profissionais Sudaneses para impedir a realização de uma conferência de imprensa que estava prestes a iniciar-se.

Fotografia: DR

Em declarações à BBC, Ahmed al-Rabie, um dos líderes do movimento da sociedade civil, disse que essa conferência de imprensa serviria para renovar os apelos à participação popular nas manifestações que se têm vindo a desenrolar quase todos os dias e que protestam contra a intransigência dos militares em sair do poder.
Ahmed al-Rabie sublinhou que os militares invadiram as instalações da organização e obrigaram as pessoas a abandoná-las, sob alegada ameaça de armas.
“As pessoas receiam que se volte a repetir o que sucedeu a 3 de Junho quando os militares abriram fogo sobre os civis, causando mais de 100 mortos”, referiu Ahmed al-Rabie.
Em resposta, o general Mohamed Hamdan Dagalo desmentiu a invasão por militares das instalações da Associação dos Profissionais do Sudão, dizendo que tinham sido chamados por causa de uma ameaça de bomba que lhes teria sido feita anonimamente.
De recordar que o Sudão está a ser governado por um Conselho Militar de Transição desde que no início de Abril o antigo chefe de Estado, Omar al-Bashir foi derrubado do poder, prosseguindo conversações entre diversas forças locais para a formação de um Conselho Soberano encarregue de preparar eleições num prazo de dois anos.

Tempo

Multimédia